29.8.08

Bezerra nos Cinemas e nas Bancas de Revistas



Dois lançamentos em uma mesma semana.

O filme Bezerra de Menezes estréia nas salas de cinema do país. A estréia é tímida, uma vez que o filme está passando em poucas salas. Em Belo Horizonte, apenas uma das salas do BH Shopping o apresenta neste final de semana.

Pelo visto, os administradores das salas de cinema vêem o filme com desconfiança. Filme nacional, sobre um personagem conhecido principalmente pelos espíritas, que não deve atrair um grande público... Devem estar pensando...

Acredito que a timidez dos administradores, associada à qualidade do filme e à relevância do personagem devem atrair uma multidão de espíritas nesta primeira semana, uma vez que ficaremos temerosos de não poder vê-lo na telona, com um som de última geração, para aproveitar o excelente trabalho de fotografia que foi feito, assim como a reconstituição de época. É uma oportunidade de ouro para rever os companheiros dos diversos centros espíritas, que o cotidiano afastou...

A Universo Espírita está apostando em Bezerra: lançou um número especial, intitulado "Revista Oficial do Filme", com inúmeras referências, textos, comentários sobre a obra e curiosidades sobre Bezerra.

Só faltou mesmo a coluna Espiritismo Comentado neste número, contendo, por exemplo a publicação que fizemos em 01 de março do corrente, na qual se recupera o discurso de posse de Bezerra na FEB em 1895, no qual ele traçou as diretrizes que marcariam o futuro do Espiritismo no Brasil.

27.8.08

Agendas na Mão




A Companhia Espírita Laboro irá apresentar sua peça "Francisco" no Espaço Cultural Imaculada, na rua Aimorés 1600, esquina com rua da Bahia.

Os ingressos estão sendo vendidos antecipadamente, por R$12,00 (doze reais).

Contato: Antônio Rubatino mailto:rubatino@pib.com

Livro Espírita na Bienal de São Paulo



Quem não foi... ainda pode comprar.

Terminou no último dia 24 a Bienal do Livro de São Paulo. Diversas editoras espíritas estiveram presentes e divulgaram seus lançamentos e catálogos.

Vera Cordeiro, do CLUBAME, esteve presente e nos enviou a seguinte relação de livros espíritas em outros idiomas:

ALEMÃO:
O LIVRO DOS ESPÍRITOS
NOSSO LAR

ESPANHOL:
ALAN KARDEC, O EDUCADOR E O CODIFICADOR ( VOL.I)
ALAN KARDEC, O EDUCADOR E O CODIFICADOR (VOL. II)
DOUTRINA ESPIRITA PARA PRINCIPIANTES
JUSTIÇA DIVINA
NOSSO LAR
SEARA DOS MEDIUNS
VIDA E SEXO
E A VIDA CONTINUA...

FRANCÊS:
AÇÃO E REAÇÃO
AVE CRISTO
CINQUENTA ANOS DEPOIS
NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE
NO MUNDO MAIOR
ENTRE A TERRA E O CÉU
HÁ DOIS MIL ANOS
EU TE PERDÔO
O LIVROS DOS ESPIRITOS
OS MENSAGEIROS
MISSIONÁRIOS DA LUZ

HÚNGARO:

O LIVRO DOS ESPIRITOS

RUSSO:

HÁ DOIS MIL ANOS
LIBERTAÇÃO
OS MENSAGEIROS
MISSIONÁRIOS DA LUZ
NOSSO LAR
NO MUNDO MAIOR

NOS DOMINIOS DA MEDIUNIDADE
OBREIROS DA VIDA ETERNA

Estes livros são trabalho do Conselho Espírita Internacional e da Federação Espírita Brasileira.

17.8.08

Atenção Gourmets de Plantão


O grupo de trabalhadoras capitaneadas por Dona Geralda, em Belo Horizonte, está promovendo mais um delicioso café colonial. É tanta coisa gostosa, a um preço per capita, que já estou meio arrependido de fazer propaganda e atrair muita gente para o evento...

Salgados, doces, tortas, biscoitos, cafés, chás e boa companhia. Ideal para pessoas falantes (os beneficiários do enxovalzinho agradecem), mas melhor ainda para bons ouvintes.

Se você não está podendo ingerir muitas calorias, seja um dos contribuintes (pague e tome um cafezinho inglês...).

Se você ingere muitas calorias, vê se não faz jejum antes do evento (o garfo também mata).

Se você não vai resistir às delícias, pelo menos traga uma namorada magrinha ou venda ingressos para toda a sua família.

14.8.08

Memórias de uma Enfermeira dos Espíritos

Foto 1: Dona Odete
Jáder Sampaio
Extremo Sul da Bahia, década de 90. Convidado a fazer uma palestra em no Centro Espírita Semente de Luz, em Mucuri, fiquei conhecendo Dona Odete.

Ela havia sido fundadora desta sociedade espírita, mas tinha uma longa trajetória anterior na participação em sociedades espíritas. Sua experiência mais interessante foi com uma médium de efeitos físicos que durante anos trabalhou em reuniões de materialização e tratamento em Teófilo Otoni, Minas Gerais, chamada de Sinhá, segundo sua filha Vera.

Os doentes participavam da reunião. Dona Odete assumia a frente dos trabalhos como se fosse uma enfermeira. Organizava, preparava o material que seria utilizado, agendava os presentes, entre outros cuidados. Um de seus cuidados mais especiais era com os vidrinhos de vacina que esterilizava, rotulava, enchia com água e colocava à vista dos membros da reunião. Ao longo da sessão, sob a ação espiritual, a água dos vidrinhos mudava sua constituição: uma nova cor, um novo odor e um sabor diferente. Cada vidrinho, destinado ao tratamento de uma pessoa diferente, podia apresentar uma coloração diferente dos demais. Um detalhe: eles estavam fechados e lacrados.

Outra peculiaridade da reunião: os espíritos materializavam-se na penumbra e conversavam com os presentes. Dona Odete guardou consigo uma fita K7 na qual registrou de forma amadora as vozes dos seres que surgiam e se manifestavam. É, talvez, além da memória dos que participaram, o único registro que fizeram e que resistiu ao tempo.
Comentários, orientações, explicações, um humor leve, tudo isto se encontra nos muitos minutos de gravação. José Grosso e Palminha são alguns dos espíritos materializados que falaram ao público (e tiveram suas vozes registradas pelo gravador).

Ao terminarem-se as sessões, estavam escritas as prescrições e orientações de uso do conteúdo dos vidrinhos. Como não havia curiosidade científica, não tenho notícia de qualquer envio para análise das substâncias modificadas ao longo das sessões. Uma pena!

Odete informou-me que uma vez Chico Xavier foi assistir aos trabalhos. Ele advertiu aos organizadores que aquele tipo de mediunidade tornar-se-ia cada vez mais raro. De fato, hoje se contam nos dedos os grupos que trabalham com efeitos físicos, e são mais raros ainda aqueles que obtém fenômenos expressivos, com participação de ectoplasma tangível e visível. Será que na presente encarnação ainda assistirei um renascimento deste tipo de fenômeno para fins de estudos controlados? Espero que sim.

11.8.08

Onde será o 4o. ENLIHPE?



O 4o. Encontro Nacional da Liga de Historiadores e Pesquisadores Espíritas - ENLIHPE acontecerá nos dias 27 e 28 de Setembro de 2009 no Instituto Espírita de Educação, à rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 695. Itaim-Bibi - São Paulo, Capital.

Inscrições com desconto até 31 de agosto de 2008.

Maiores informações e inscrições no site do Centro de Cultura - http://www.ccdpe.org

Veja também no site os expositores já confirmados.

O prazo de entrega dos trabalhos foi prorrogado para o dia 18 de agosto e os resultados serão divulgados em 15 dias.

10.8.08

Parabéns para o EC....



O Espiritismo Comentado chegou a vinte mil acessos desde a inserção do contador de acessos em agosto/setembro do ano passado. Obrigado a você que tem acompanhado nosso trabalho de perto.
Foram 200 matérias publicadas, entre ensaios, entrevistas, resenhas, artigos de diálogo com o leitor e divulgação de eventos.
Chegamos à terceira publicação na Universo Espírita, com a matéria sobre Victor Hugo, com a imagem e textos complementares criados pela competente equipe editorial da revista.
Com a implantação do FEEDJIT no blog ficamos mais próximos de você, e sabemos um pouco mais o que têm lido, procurado e em que cidades estão os leitores.
A Comunidade EC está principalmente na região sudeste e sul do Brasil, nas capitais nordestinas, e nas grandes cidades do centro-oeste/norte.
No exterior, acessaram este mês de Portugal, Estados Unidos, França, Reino Unido, Espanha, Holanda e Áustria.
A comunidade de Portugal é bastante diversificada. Temos leitores de Lisboa, Sintra, Porto, Gondomar, Guimarães, entre muitas outras cidades. Os portugueses gostaram da poesia Encarnações, da matéria sobre as Flores no Dólmen de Kardec e das informações sobre o vídeo de Chico Xavier. Dos ensaios, o que trata sobre Mediunidade Intuitiva tem sido muito acessado.
No Brasil, a matéria da AME de Juiz de Fora, remetendo os leitores para modelos de aulas de evangelização infantil foi das mais procuradas, parabéns à equipe de JF e obrigado pela "dica".
Em breve levantaremos as cidades norte-americanas que nos tem dado o prazer da visita.

Você quer voluntariar-se?



Virgílio Pedro de Almeida criou o bazar da AECX em 1970, que hoje leva seu nome em sua memória. Ele congregava donas de casa que enviavam seus filhos para a escola à tarde, em serviço ativo para o próximo.

Há muitos anos vem sendo coordenado pela Rose (Rozimare Passini Barbosa) e pela Maria Célia. E o perfil dos colaboradores diversificou bastante, mas manteve seu caráter voluntário.

A equipe se encontra no Lar Espírita Esperança, à rua Samuel Hahnemann (atrás do Hospital Espírita André Luiz), no bairro Salgado Filho - BH. As reuniões são às quartas feiras, das 14:00 às 17:00 horas.
Quem quiser voluntariar-se pode procurar a Rose às quintas feiras à tarde, na sede da Associação Espírita Célia Xavier ou às quartas-feiras à tarde no Lar Espírita Esperança.

Voluntários procurados:

- Bordadeiras,

- Crocheteiras

- Costureiras

- Pessoas com habilidade em tapeçaria

- Pessoas de boa vontade (para passar, dobrar, medir, etiquetar, etc.)

- Pessoas habilitadas que possam receber o trabalho sob encomenda para fazer em casa.



- Se você não puder voluntariar-se, mas quiser ajudar, pode doar material.

3.8.08

ENCARNAÇÕES



Os anos não trazem apenas cabelos brancos,
Vêm a experiência, mestra da vida, e a sabedoria.
É belo ser jovem e temerário, mas talvez,
Mais belo é ser velho e iluminado pela vida.

Cada idade tem seu próprio encanto, a beleza própria.
E a vida tem estações, à semelhança do ano:
A primavera da infância e da adolescência pura,
O verão da mocidade e o outono da madureza.

Mas o inverno da velhice não é o fim que aparenta.
Também a vida, à semelhança do ano, se encadeia
Em estações e se renova, nas encarnações.

O branquear dos cabelos é o princípio das nevadas
De um inverno. Mas após cada inverno voltará a
Primavera, na direção da sabedoria.


Poema de Leandro Couto, inspirado na crônica "O Homem Novo", do livro homônimo de autoria de J. Herculano Pires. 2ª ed. Edições Correio Fraterno, 1985. 107 p.

2.8.08

Quem foi Célia Xavier?



Foto 1: Célia Xavier


Jáder Sampaio

Perdoem-me os leitores que não são de Belo Horizonte. Eu sou membro da Associação Espírita Célia Xavier, e muitas pessoas nos perguntam amiúde: quem foi Célia Xavier? Geralmente, os mal informados arriscam algum parentesco com Chico Xavier (mãe, irmã e até filha já foi objeto de cogitação), mas a nossa Célia não tem parentesco com o médium de Pedro Leopoldo, embora já tenha se comunicado através dele.

Célia é belo-horizontina, nascida em 1916 na Rua Tupinambás, filha de José Pedro Xavier e Dona Orlanda Reis Xavier. Aos quatro anos sua família se mudou para Ubá, onde José Pedro trabalhou como joalheiro, dono de uma "joalheria de seis portas" (Relojoaria Ideal). Célia e suas irmãs foram internas do Colégio Regina Coeli em Rio Pomba, considerada a melhor escola da região.

Em uma das férias, enquanto tocava piano, Célia sentiu-se mal, e depois apresentou uma paralisia do lado esquerdo, possivelmente causada por um acidente vascular cerebral.

A família voltou para Belo Horizonte e passou a residir no bairro Santa Tereza. As sequelas foram diminuindo, e ela foi atendida no Hospital Militar, por intervenção do Sr. Neves. A família mudou-se para o bairro Calafate. O Sr.Xavier trabalhava como joalheiro, gravador, cravador e relojoeiro. Ele abriu a relojoaria Brasil em Belo Horizonte, e ensinou seu ofício a muitos outros profissionais da capital mineira.

As mulheres dividiam o serviço da casa, e Célia, já bem melhor, escolheu lavar e passar a roupa. Segundo a irmã, era uma jovem "alegre, trabalhadora e muito religiosa".

Quando moravam na rua Itapecerica, na Lagoinha (antes de mudarem-se para o Calafate), as mulheres da família trabalharam como cortadeiras e costureiras em uma loja de roupas infantis, inclusive Célia. Após mudarem-se, Célia continuou costurando roupas de criança sob encomenda.

Após alguns anos de tranquilidade, Célia queixou-se de dores no lado direito do abdômem, que foram diagnosticadas como um "problema de fígado" e tratadas, na época, com "banhos de luz". Ela piorou paulatinamente. Tratava-se de um câncer no aparelho digestivo, mas a medicina não dispunha dos recursos diagnósticos que tem hoje.

Na noite da desencarnação, ela chamou a mãe e disse "Mamãe, a senhora foi a melhor mãe do mundo". Ela indicou à mãe uma lata onde guardava o dinheiro das costuras, que economizara por muito tempo, e pediu que ela pagasse uma empregada antiga que a família tinha e que desse o resto de esmola aos pobres, velhos e aleijados. Pediu à irmã que desse três vestidos para as sobrinhas. Ariadne, sua afilhada, guarda até hoje este vestido. Ela enviou rosas para freiras, suas amigas.

Célia recebeu muitas pessoas amigas, sempre carinhosamente. Disse a uma prima que a tia Taninha (o nome era Sebastiana) estava presente (ela já havia desencarnado) e que pedia que ela fizesse as pazes com o pai (ainda encarnado).
Ela não frequentava reuniões mediúnicas, mas viu tantas pessoas no leito de morte que desabafou com sua família: "Meu Deus, devia ter desenvolvido a mediunidade".

O Monsenhor Horta visitou-a no leito de morte, chamado por um tio, e dispôs-se ouvir-lhe a confissão. Ele pediu que as pessoas saissem para que ela confessasse, ao que ela recusou, porque não tinha pecado algum para confessar. A irmã e a sobrinha-afilhada confirmam que o sacerdote saiu dizendo: "Meu Deus, eu vim confortar essa moça e saí confortado por ela."

Célia chamou pelo Sr. Antônio Loreto Flores, presidente de um centro espírita ao qual desejava ver. Flores era conhecido por sua mediunidade na capital mineira. Ariadne informou que ele ia ao cinema, no que foi interpelado por Bezerra de Menezes - espírito, que lhe disse: "Célia precisa de você". Ele chegou para vê-la e cerca de meia hora depois, às 22:35 horas. Célia desencarnou no dia 01 de agosto de 1943.

Posteriormente, alguns espíritas amigos do casal Xavier os incentivou a construir um Centro Espírita em homenagem à memória da filha. Fico lhes devendo mais informações sobre a construção do Centro Espírita Célia Xavier .

A história de Célia ganhou notoriedade na capital mineira, e em algum tempo começaram a surgir velas, flores e outros símbolos religiosos colocados por concidadãos em seu túmulo, no cemitério do Bonfim. A família julgou por bem fazer a exumação dos restos mortais, guardando-os em uma gaveta numerada no cemitério para evitar a santificação de Célia pela população.
Agradeço a Ariadne e a Ilza Xavier os dados cedidos.

PS: Algumas mudanças foram feitas no texto desde a primeira publicação graças à atenção de Ariadne Xavier, a quem agradecemos.

Desencarne ou Desencarnação?


Celso Pedro Luft escreveu sobre formação de palavras no seu "Novo Manual de Português". Ele afirma que:

"Para a expansão de seus recursos vocabulares ou lexicais, serve-se a língua de dois recursos gerais: ampliação lexical interna e externa."

Na ampliação interna, temos os processos de derivação, que podem ser por prefixação, sufixação, prefixo-sufixação (parassíntese) e regressiva.

Consultei diversos dicionários, e todos eles apresentam a palavra desencarnação, até com o sentido espírita de "afastamento permanente (pela alma ou espírito) do corpo físico".

Nenhum deles (Houaiss, Aurélio, Nascentes, Laudelino Freire) apresenta a palavra desencarne, mas todos eles apresentam a palavra "encarne" com o sentido de "ato de encarnar".

O que posso concluir, salvo melhor juízo, é que seria preferível utilizar o substantivo desencarnação, que está dicionarizado e é bastante conhecido, mas não seria incorreto utilizar a palavra "desencarne", com o sentido de "ato de desencarnar", que seria possível por derivação prefixal. O que não se deve é confundir desencarne ou desencarnação com descarnar, parassíntese que significa retirar a carne do osso.

Espiritismo Comentado na Universo Espírita


O número 55 da revista Universo Espírita publicou a matéria "Doutrinação ou Atendimento?" do nosso blog. Além do que o leitor já conhece, há uma apresentação sintética da vida e obra de Hermínio Miranda, autor do livro "Diálogo com as Sombras", publicado pela FEB.

Leia também muitas outras matérias, que tratam de Stanislav Grof, Dependência Química, do episódio das fotografias de fadas que ludibriou Conan Doyle e diversas matérias sobre as associações de profissionais da área de direito e o Espiritismo.

Mocidade AECX nos anos 80


Mais uma foto nos foi cedida do acervo de Dalva e Márcio Xavier, registrando um passeio da mocidade da Associação Espírita Célia Xavier à cidade de Sabará na década de 80.
Parabéns aos 40 anos de vida institucional....