Mostrando postagens com marcador Alexander Moreira-Almeida. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alexander Moreira-Almeida. Mostrar todas as postagens

8.4.15

PROFISSÃO REPÓRTER TRATA DE MEDIUNIDADE



O programa Profissão Repórter de ontem tratou da mediunidade. Eles entrevistaram médiuns de Abadiânia-GO, Lorena-SP e São Caetano-SP, além da equipe do NUPES, na Universidade Federal de Juiz de Fora-MG.

Se vocês não puderam assistir (assim como eu), segue o link:

26.11.14

JORNAL O GLOBO PUBLICA MATÉRIA SOBRE ESTUDO DE CARTAS DE JAIR PRESENTE, PSICOGRAFADAS POR FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER


O jornal O Globo publicou matéria em seu blog e entrevista com o Dr. Alexander da Universidade Federal de Juiz de Fora sobre um estudo conduzido pelos Drs. Alexandre Caroli Rocha e Denise Paraná. Ele pode ser acessado em http://oglobo.globo.com/sociedade/pesquisa-cientifica-avalia-veracidade-das-cartas-de-chico-xavier-1-14662863

Um artigo escrito a partir da pesquisa foi publicado pela revista Explore (Nova York) do grupo Elsevier (eles têm escritórios em 24 países e trabalham com a divulgação de publicações voltadas à ciência, saúde e tecnologia) e pode ser lido em inglês no seguinte link:


Segue uma tradução dos resultados apresentados no abstract do artigo.

"Identificamos 99 itens de informação verificável nestas treze cartas, 98% destes itens foram classificados como "de ajustamento claro e preciso" e nenhum item foi classificado como "sem ajustamento". Concluímos que explicações geralmente utilizadas para a acurácia da informação (ou seja, fraude, acaso, vazamento de informações, e leitura à frio) são apenas remotamente plausíveis. Estes resultados parecem dar suporte empírico para teorias não reducionistas da consciência."

9.10.14

PESQUISADOR BRASILEIRO NOMEADO COORDENADOR DE ÁREA NA ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE PSIQUIATRIA




Não se trata de uma notícia espírita, mas gostaria de compartilhar com os leitores do Espiritismo Comentado a divulgação da Universidade Federal de Juiz de Fora, que informa a escolha do Dr. Alexander Moreira-Almeida como coordenador da seção de "Espiritualidade, Religiosidade e Psiquiatria" da Associação Mundial de Psiquiatria (WPA - World Psyquiatric Association).

Moreira-Almeida tem realizado e realizado muitas pesquisas envolvendo médiuns e religiosidade, uma área que tem avançado na psiquiatria mundial. Desejamos muitas realizações nos próximo três anos para ele.

As diversas publicações já feitas sobre o trabalho do professor em nosso blog pode ser lido em: http://espiritismocomentado.blogspot.com.br/search?q=Alexander+Moreira-Almeida

4.6.14

É POSSÍVEL CONCILIAR SAÚDE E ESPIRITUALIDADE EM PESQUISA ACADÊMICA?



O NUPES (Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde) da Universidade Federal de Juiz de Fora, vem realizando pesquisas sobre sua linha central. Na tentativa de comunicar seus trabalhos com a sociedade como um todo, eles iniciaram um projeto chamado TV NUPES, que são apresentações curtas com as questões que eles têm desenvolvido, entrevistas com convidados (alguns internacionais) entre outras iniciativas. Embora não estejam tratando diretamente do espiritismo em muitos dos seus trabalhos, seus temas são do interesse da comunidade espírita, então vamos divulgá-los no Espiritismo Comentado.

Este vídeo de quatro minutos é o primeiro de uma série que mostra alguns mitos ligados à conciliação entre ciência, espiritualidade e religião. 






Outros vídeos da TV Nupes podem ser vistos em  http://www.youtube.com/user/nupesufjf

15.1.14

REVISTA DE PSIQUIATRIA DA USP PUBLICA ARTIGO DE REVISÃO SOBRE MEDIUNIDADE

Leonore Piper


A Revista de Psiquiatria Clínica da Universidade de São Paulo publicou no seu volume 40 no. 6 um artigo intitulado "Pesquisa em mediunidade e relação mente-cérebro: revisão das evidências", escrito pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida.

Calcado em 124 referências bibliográficas, o autor apresenta as linhas de pesquisa da mediunidade contemporâneas. Ele argumenta que a mediunidade é uma "experiência humana", com ampla tradição de pesquisa empírica desde o século XIX, que foi negligenciada, de forma geral. 

Moreira-Almeida discute os problemas e questões que se impõem a este tipo de pesquisa, mostrando alguma influência do pensamento popperiano no desenho dos projetos contemporâneos. Ao contrário de Rhine, e alinhado com a perspectiva contemporânea de Schwartz e Beischel, ele propõe que se estude pessoas com alegada capacidade mediúnica e resultados constatados, em vez de insistir nos delineamentos de Rhine, que propunha o estudo de grande número pessoas comuns em busca de traços de faculdades psíquicas.

Entre outras questões ele mostra a falácia de se procurar um "experimento crucial", o que não é utilizado em praticamente nenhuma ciência natural. O trabalho dos cientistas envolve a busca sistemática de evidências e contra-evidências que vão possibilitando o amadurecimento teórico, como advogava Kuhn, mas principalmente Imre Lakatos. Esta posição põe em questão um argumento muito usado por céticos, que advogam ser necessário primeiro provar a existência dos espíritos para depois pesquisar a mediunidade. 

Moreira-Almeida apresenta pacientemente os principais resultados de estudos feitos com dois médiuns destacados: Leonore Piper e Chico Xavier. Ao contrário das conclusões de um pesquisador brasileiro que a-priori defende que o trabalho de Chico é pasticho ou psicopatologia, ele apresenta com cuidado os resultados de tese e dissertação de Alexandre Caroli Rocha. Além disso ele relaciona trabalhos já conhecidos pelo movimento espírita, como o da grafoscopia de Perandréa e o de comparação de informações de Severino.

O trabalho é cuidadoso e amplo, recomendo sua leitura e discussão entre os interessados. Acessem no Scielo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000600005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ao lado da página acessada, é possível baixar o arquivo do artigo em formato pdf.


27.3.13

DESAFIOS EM CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE




O Dr. Alexander Moreira-Almeida é psiquiatra e pesquisador da pós-graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Há anos dedica-se à realização de pesquisas com fenômenos espirituais e saúde, tendo contribuído para o avanço de temas como a questão cultural na psiquiatria. Ele articula métodos quantitativos e qualitativos e tem contribuições na área da epistemologia e da filosofia da ciência.

Muito claro em suas explicações, ele aponta para mitos e pressupostos filosóficos muito comuns no senso comum e na representação social da ciência, desconstruindo ideias divulgadas, mas equivocadas.

Em sua breve comunicação, conclui com recomendações para os interessados na área.