26.8.16

ALEXANDRE ROCHA FALA DE AUTORES FRANCESES DO ESPIRITISMO NO 12o.ENLIHPE




Dois franceses tiveram seus trabalhos recentemente traduzidos para a língua portuguesa nos últimos anos, quando já se pensava que a produção intelectual sobre o espiritismo fosse exclusividade de autores brasileiros.

François Gaudin é um professor da Universidade de Rouen, que dedicou as duas últimas décadas ao estudo de Maurice Lachâtre, inicialmente como lexicógrafo, mas posteriormente como divulgador do espiritismo. Eu encontrei pelo menos nove itens de produção (tese, artigos, comunicações em eventos, etc.) em seu currículo.



Jean Prieur já tem um perfil diferente. Francês de Lille, nascido em 1914, continua conosco aos quase 102 anos. Da área das letras, foi professor de francês e latim, com formação em literatura francesa  e em estudos latinos.
Em português, Prieur teve traduzido o seu “Allan Kardec e sua época”, que é um delicioso passeio pela pela França da época de Kardec, pela vida do fundador do espiritismo e pelas pessoas mais próximas a ele, como Amelie Gabrielle Boudet, Mme. Rivail. Gaudin, por sua vez, teve uma instigante biografia de Maurice Lachâtre publicada no livro “O espiritismo: uma nova filosofia.”


Alexandre Rocha, editor da Lachâtre, foi conhece-los na França pessoalmente, e vai falar um pouco destas duas personalidades curiosas e laboriosas para os participantes do 12º. ENLIHPE, no domingo próximo.


A TERRA DA PROMESSA: ESTE LIVRO SERÁ LANÇADO NO 12o. ENLIHPE



Ada May estará conosco na manhã de domingo do 12o. ENLIHPE para lançar seu novo livro: A Terra da Promessa

Resumo da história:

“O francês Charles Lantier, médico recém-formado, graças a seu excepcional desempenho acadêmico, tem a honra de ser admitido como assistente do renomado pesquisador dos chamados fenômenos psíquicos, Albert de Rochas.
Debaixo dessa extremada orientação, o jovem Charles seguirá aprendendo as técnicas da ciência da magnetização e tomará parte em experiências inovadoras, até que um súbito revés do destino o colocará diante de uma grave ameaça que o transformará num pária, obrigado a fugir de seu mundo na calada da noite, abandonando tudo e todos.
Será graças a esse terrível revés que Charles irá aportar em terras brasileiras, onde apesar de todas as adversidades, terá que recomeçar humildemente. Porém, a providência divina tratará de ajudar esse médico e magnetizador idealista, ao colocar em seu caminho um personagem luminoso, o médico e grande filantropo, Adolfo Bezerra de Menezes.
A ‘Terra da promessa’ narra a história dessas pessoas, que com seu trabalho e abnegação, fizeram com que a luz da espiritualidade maior chegasse ao coração de uma multidão de sofredores do corpo e da alma que cruzaram seu caminho.” 

O contexto da história, enviado pela editora.

"Ao final do século 19 o mundo se transformava rapidamente, atravessando uma fase de franca ebulição no panorama político-social, porém, a transformação se tornava ainda mais evidente na área do conhecimento científico. Pesquisadores, médicos e cientistas de várias nações tentavam dissecar e compreender o maior de todos os desafios: a mente humana. Nesse período a ciência viu-se dividida entre os pesquisadores que aceitavam a condição espiritual do homem, contra os que tinham uma visão puramente materialista. Retomando acirradamente um antigo embate, a ciência dita ‘moderna’ tentava a todo custo desvencilhar-se das ancestrais amarras morais ditadas pelas religiões.

Por muito tempo renomados cientistas, alguns dedicados exclusivamente à magnetização, como Mesmer, o barão du Potet, o marquês de Puységur, Charles Lafontaine, François Deleuze, Alphonse Bouvier, Albert de Rochas, Lombroso, Charles Richet e tantos outros, estudaram os fenômenos mediúnicos que a ciência não conseguia explicar satisfatoriamente.  Esses homens dedicaram suas vidas a dissecar e explicitar os fenômenos mediúnicos, cujas teorias os levaram à conclusão de que o ser humano não poderia ser separado de sua porção espiritual enquanto vivesse e que, mesmo após sua morte, essa porção espiritual se manteria viva e ativa como as renitentes pesquisas tantas e tantas vezes comprovaram. Foram impressos quilômetros de linhas na tentativa de fazer valer a visão científica de que a mente humana não se extingue com a morte física do cérebro, justamente porque está atrelada à porção espiritual do indivíduo, que se conserva mesmo após a morte.

A “Terra da promessa” é uma ficção baseada em fatos históricos, cuja extensa pesquisa pretende homenagear os dedicados cientistas e pesquisadores que, imbuídos de corajoso espírito científico, desbravaram os mistérios da mente humana, para provar peremptoriamente que os fenômenos mediúnicos que observaram eram reais e que foram submetidos a paciente observação e experimentação que os comprovou acima de qualquer suspeita.

Assim sendo, é graças também ao exaustivo trabalho realizado por esses homens devotados que a ciência atual pôde finalmente retomar a estrada do aprendizado luminoso que, ao vencer grandes preconceitos, realinha-se com a nova etapa evolutiva pretendida para esse milênio, que reconhece o homem como ser espiritual, pré-existente e sobrevivente à realidade puramente material do indivíduo."

*                      *                     *

Além de lançar o livro, Ada May irá conversar sobre ele, respondendo a perguntas e respostas, e irá autografá-lo para os interessados. Um momento precioso para o 12o. ENLIHPE.

25.8.16

ANTÔNIO MARCOS DE OLIVEIRA: 12o. ENLIHPE


Uma de nossas boas surpresas do ENLIHPE deste ano é o acadêmico do primeiro ano do curso de medicina da Universidade Federal de Alfenas: Antônio Marcos de Oliveira.

Antônio vai apresentar o trabalho: "A mediunidade alegada por muitas pessoas é uma evidência de relação mente-corpo alternativa"?

Trabalhos como o de Antônio mostram que não é exigido que as pessoas tenham títulos de mestrado ou doutorado para aprovar artigos nos ENLIHPEs. 

Antônio é espírita e frequenta o Grupo de Auxílio Fraterno Amélia Zambelli, de Presidente Prudente - SP.

22.8.16

FAUSTO HENRIQUE GOMES NOGUEIRA: 12o. ENLIHPE



O Dr. Fausto Henrique Gomes Nogueira, é historiador, mestre e doutor em História Social pela Universidade de São Paulo. Sua tese de doutoramento intitula-se "Os espíritos assombram a metrópole: sociabilidades espiritualistas (espírita e esotérica) em São Paulo na primeira república". A tese pode ser acessada no Banco de Teses e Dissertações da USP, no link abaixo:

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-11032016-160523/pt-br.php

Fausto é professor efetivo de história no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Estudou as primeiras associações e periódicos espíritas produzidos em São Paulo.

Espírita desde a adolescência, atuo no Centro Espírita Bezerra de Menezes, no bairro da Penha.

No 12o. ENLIHPE teve aprovado o trabalho: "Batuíra: espiritismo, livre-pensamento e anticlericalismo"

20.8.16

JAQUELINE P. V. SILVA: 12o. ENLIHPE




Jaqueline é aluna do Mestrado em História da Universidade Federal de Uberlândia, no qual está desenvolvendo a dissertação: "O primeiro colégio espírita do Brasil: história, memórias, metodologia de ensino e aprendizagem". Graduada em história (UFU), é também graduanda em pedagogia (UFU) e especialista em supervisão e inspeção escolar (UNIASSELVI)

Ela já apresentou trabalhos baseados em sua pesquisa em três eventos da área de história e esteve conosco no 11o. ENLIHPE, ano passado.

Este ano ela apresentará o trabalho "Origens: espiritismo, mediunidade e a sistematização de Allan Kardec nas obras O Livro dos Espíritos e O Livro dos Médiuns"

19.8.16

PAULO MOURINHA (PORTUGAL) NO 12o. ENLIHPE



Paulo Mourinha
O Dr. Paulo Mourinha, português, está na LIHPE há muitos anos, mercê de um intercâmbio-amizade com Eduardo Carvalho Monteiro, que conheceu no Grupo Espírita Batuíra. Com Eduardo fez uma parceria no livro "Chico Xavier e Isabel, Rainha Santa de Portugal. Ano passado nos aproximamos mais, em função dos trabalhos do Primeiro Encontro França Brasil, através de um dos coordenadores que esteve na Europa acertando detalhes com o movimento espírita europeu.

Paulo enviou-nos o seu livro “Uma história Luso Brasileira”, publicado pela Federação Espírita Portuguesa. Nele, as biografias de espíritas portugueses que viveram no Brasil ou não, se multiplicam. Leão Pitta, por exemplo, que eu conhecia de um livro que narrava uma palestra para crianças, tem recuperada sua memória, que se cruza com a de Pedro de Camargo.

Cientes de que Paulo viria ao Brasil por época do 12º. ENLIHPE, para fazer uma viagem de estudos, fizemos o convite para fazer uma conferência e autografar seus livros, gentilmente enviados pela Federação Espírita Portuguesa.

Paulo é licenciado em medicina com graduação em homeopatia (Devonshire Medical School), pós-graduado em medicina tradicional chinesa (Universidade Pedro Choy - Lisboa), mestre em psicologia clínica (Instituto Superior de Psicologia Aplicada) e em antropologia (Universidade Nova de Lisboa) e doutor em neurociências (Universidade Nova de Lisboa). 

Ligado ao movimento espírita, fez parte do Grupo Espírita Batuíra de Algés, Casa do Caminho de Lisboa, Centro de Cultura das Caldas da Rainha, entre outros. Membro-fundador da editora Verdade e Luz, sendo atualmente colaborador da Federação Espírita Portuguesa. Participa da comissão organizadora do 8o. Congresso Espírita Mundial, que acontecerá em Lisboa, no mês de outubro próximo.

Aguardamos com interesse esta bela possibilidade de intercâmbio cultural e de conhecimento da história do espiritismo em nas terras portuguesas .

17.8.16

MARCELO GULÃO PIMENTEL: MAIS UM EXPOSITOR DO 12o. ENLIHPE



Estamos recebendo como conferencista no ENLIHPE pela primeira vez o Prof. Marcelo Gulão Pimentel, mas ele já nos conhece há mais tempo, uma vez que participou do 4º. ENLIHPE. Eu o conheci mais proximamente no Nupes-UFJF, organizando o evento de divulgação do livro “Diálogo com os céticos”, de Alfred Russel Wallace, traduzido por nós. Ele discutiu seu trabalho de mestrado, que já estava bem avançado e que gerou a dissertação: “O método de Allan Kardec  para investigação dos fenômenos mediúnicos (1854-1869)


Marcelo é historiador (UERJ), especialista em história moderna (UFF) e mestre em saúde (UFJF) na linha de pesquisa de história e filosofia das pesquisas em espiritualidade. Atualmente cursa doutorado no Programa de Pós Graduação em História Política (UERJ). Tem apresentado trabalhos em diversos eventos organizados por instituições  ligadas à história, como a Associação Nacional de Pós-Graduação em História (ANPUH) e a Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR).


Tive a satisfação de coordenar a mesa composta pelo Prof. Marcelo e pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida no I Encontro França-Brasil de Cultura e Pesquisa Espírita, na UERJ, em 2015, quando ele apresentou um trabalho baseado no tema central de sua dissertação. 

15.8.16

ADOLFO DE MENDONÇA FILHO NO 12o. ENLIHPE




Encontrei Adolfo, pela primeira vez, no 4o. ENLIHPE, apresentando o trabalho “José Marques Garcia: Pioneiro da História do Espiritismo em Franca”, que foi publicado no livro “Pesquisas sobre o espiritismo no Brasil”. Ele, contudo, é dos poucos membros da LIHPE ainda ativos que participou do 1o. ENLIHPE em Goiânia, paralelo ao Congresso Espírita Brasileiro, em 1999.

O Prof. Adolfo é historiador pela Unesp, com especialização pela UNIFRAN. 

Em 2012, no 8o. ENLIHPE apresentou o trabalho "Ciência espírita:objetos, limites e método de pesquisa. No ano passado ele apresentou o tema "Allan Kardec, a ciência e o racismo". https://www.youtube.com/watch?v=MQo-ciccr7M

Adolfo tem apresentado trabalhos na Associação Brasileira de História Oral, onde trata da temática espírita. Dois deles podem ser lidos em:


Adolfo trabalha como professor de história e é ligado ao movimento espírita, tendo ocupado o cargo de diretor na USE-SP e na federativa local.


12.8.16

TIAGO PAZ E ALBUQUERQUE NO 12o. ENLIHPE



Tiago no ENLIHPE de 2012


O professor Dr. Tiago Paz e Albuquerque é docente da Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba.

Tiago irá apresentar o trabalho "A comunicação com os espíritos e sua crença na sociedade brasileira: análise de diferentes grupos religiosos". Ele participou dos encontros da LIHPE, se não falha a memória, desde que começaram a ser realizados em São Paulo.

Tiago é mestre e doutor em Psicologia Social, onde pesquisa temas relacionados à representação social e ao espiritismo, ou seja, a forma como o espiritismo é apreendido pela sociedade ou por grupos sociais. 

Em 2009 ele defendeu uma dissertação com o título: "A representação social de perfeição na memória das personalidades do Espiritismo" e, em 2013, defendeu a tese "Chico Xavier e o mundo dos espíritos: um estudo de representações sociais". http://www.febnet.org.br/blog/geral/pesquisas/teste-dissertacoes-1/


Nos encontros da LIHPE, já publicou um capítulo do livro "O espiritismo visto pelas áreas de conhecimento atuais", fruto de um trabalho de disciplina do seu curso de doutoramento, no qual lista e analisa 172 teses e dissertações sobre o espiritismo no meio acadêmico brasileiro, ao mesmo tempo em que mostra uma tendência de aumento desta produção ao longo do tempo. O trabalho dele pode ser assistido em https://www.youtube.com/watch?v=-ZnkennWiXc

As teses e dissertações foram apresentadas rapidamente neste caderno de resumos: http://docslide.com.br/documents/2010-albuquerque-tp-caderno-de-resumos-o-espiritismo-em-teses-e-dissertacoes.html

Tiago criou uma base de dados contendo todas as teses e dissertações disponibilizadas para acesso público e as disponibilizou na internet. 

A contribuição das pesquisas de Tiago para o conhecimento do espiritismo em nossa sociedade brasileira ainda irá gerar muitos frutos futuros. Aguardo com interesse o seu trabalho no ENLIHPE deste ano.





10.8.16

FICOU MAIS FÁCIL INSCREVER NO 12o. ENLIHPE



Ficou mais fácil a inscrição para o 12o. Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo. 

1. Acesse o site do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo - Eduardo Carvalho Monteiro e preencha seus dados: http://www.ccdpe.org.br/2016/06/12-enlihpe-encontro-nacional-da-liga-dos-pesquisadores/

2. Recolha a taxa de inscrição e envie o comprovante para 12enlihpe@ccdpe.org.br

3. Aguarde o email de confirmação da inscrição

Abaixo uma síntese dos expositores e trabalhos que serão apresentados no 12 ENLIHPE:



5.8.16

MEMÓRIA ESPÍRITA DO ESTADO DE GOIÁS



Já se vão dezessete anos que o estudioso Eduardo Carvalho Monteiro idealizou e partiu para o trabalho de congregar estudiosos espíritas em torno de uma rede que permitisse a troca de informações e a preservação da memória do movimento espírita. Ele não era historiador de formação, mas certamente era memorialista de coração, e mesmo sem conhecer as grandes escolas da história, dispôs-se a procurar fontes, recuperar documentos, pesquisar livros raros, digitalizar o que pudesse e escrever livros de memória do movimento espírita.

Esta raiz do que hoje se tornou a LIHPE, está presente no pensamento dos que participaram dos primeiros anos de trabalho e embora a ênfase na memória não seja mais o propósito central da Liga, continua a ser um de seus pilares.

Não me lembro ao certo do ano, acho que foi em 2009, quando recebemos no evento a participação dos irmãos Airton e Eurípides Veloso de Matos, fruto do convite do então presidente da União Espírita Mineira, Marival Veloso de Matos.
Eles nos brindaram com sua simpatia infinita, com sua alegria e com uma curiosidade imensamente positiva. A impressão que tínhamos é que estavam em casa, aproveitando o evento como se estivessem visitando os parentes que não viam há muito.

Não sei em qual das nossas conversas veio a proposta, meio que desafio. Por que eles não escreviam sobre a história do movimento espírita de Goiás? Estavam radicados há muito e eram trabalhadores da FEEGO. 

Os convites são curiosos. Muitas pessoas nem reagem a eles. Algumas costumam dizer que não são capazes ou não estão prontas, respostas socialmente mais aceitas que dizer: "Isto dá muito trabalho" ou então, "Isto não interessa". Mas a reação dos dois foi diferente.

Sentimos falta dos irmãos no encontro seguinte, eles realmente haviam deixado saudades. Durante a organização do próximo ENLIHPE, eis que temos boas notícias. Eles haviam escrito um livro no contexto de um projeto denominado "Memória Espírita do Estado de Goiás", encampado pela Federativa.




Em 2011, os dois voltaram ao ENLIHPE para autografar a primeira pérola do seu projeto, o livro "Os primórdios do Espiritismo em Goiás". Cabelos grisalhos, riso fácil, fizeram um trabalho que soma capacidade de articulação, regionalismo, reflexão e contribuição para a memória espírita. 



Um ano depois, em 2012, veio a segunda pérola: Raízes Espíritas, Região Metropolitana, onde tratam de Chico Xavier e do espiritismo no triângulo mineiro, da influências geo-politicas na expansão do espiritismo em Goiás, do Centro Espírita Aprendizes do Evangelho e da União Espírita Goiana, sobre a sociedade goiana e alguns dos principais Centros Espíritas na região metropolitana, além das biografias de 28 espíritas, considerados pioneiros do Movimento Espírita Goiano. No final, algo para todos consultarem: uma cronologia de acontecimentos sobre o espiritismo em Geral, com a inserção dos principais eventos em Goiás.

Os dois, realmente, colocaram Goiás no mapa! Em grande estilo. E penso que fizeram justiça a trabalhadores que conheci, como Romeu Pelá, cuja história de vida não poderia ser varrida para o Letes do esquecimento.

Continuo com saudades dos dois. Vejam que não estou só nas minhas memórias sobre sua participação nos ENLIHPEs: 



27.7.16

INSCRIÇÕES E PROGRAMAÇÃO DO 12o. ENLIHPE





A Liga de Pesquisadores do Espiritismo - LIHPE realiza nos dias 27 e 28 de agosto o seu 12o. Encontro Nacional. As inscrições estão abertas e podem ser feitas por depósito bancário e envio de ficha de inscrição por email.

A taxa de inscrição, que contempla dois cafés da manhã e três coffee breaks, é de quarenta reais, e pode ser depositada na conta do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo - Eduardo Carvalho Monteiro, que organiza voluntariamente o evento. As taxas de inscrição cobrem as despesas gerais do evento, não havendo finalidade lucrativa. Se porventura houver alguma sobra financeira, ela será direcionada para o CCDPE-ECM, que é organização sem fins lucrativos. A ficha de inscrição e informações sobre depósito estão disponíveis em: http://www.lihpe.net/wordpress/?p=1663

Recomenda-se inscrever antecipadamente, porque as vagas são limitadas.

O evento acontecerá na sede da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, em Santana, na Rua Dr. Gabriel Piza 433. Mais informações podem ser obtidas no telefone 011 - 98322-6570 (Marlene)

A programação é a seguinte:



PROGRAMAÇÃO – 27/08/16


Sábado (manhã)

8h00        Recepção, credenciamento e entrega de material

8h20        Prece de Abertura

8h25        Apresentação artística

8h35        Palavras iniciais: LIHPE / CCDPE-ECM / USE

9h00        Marcelo Gulão PimentelAs investigações dos fenômenos psíquicos/espirituais no século XIX: sonambulismo e espiritualismo, 1811-1860

9h30        Fausto Henrique Gomes NogueiraBatuíra: espiritismo, livre-pensamento e anticlericalismo

10h00      Jaqueline Peixoto Vieira da Silva – Origens: espiritismo, mediunidade e a sistematização de Allan Kardec nas obras O Livro dos Espíritos e O Livro dos Médiuns

10h30      Intervalo

11h00      Adolfo de Mendonça Junior Psicofonia, história oral e fontes históricas

11h30      Perguntas e comentários a todos os apresentadores da manhã

12h00      Orientações gerais e intervalo para o almoço


Sábado (tarde)

13h45      Atividade artística

14h00     Marco Milani: entrevista com o médium Fernando Ben

14h30      Jáder Sampaio - As pesquisas sobre mediunidade realizadas pelo Instituto Windbridge

15h00     Adilson Assis – Os fundamentos biopsicológicos da mediunidade: revisão da literatura e sugestões de pesquisas futuras

15h30      Perguntas e comentários aos apresentadores da tarde

16h00      Intervalo

16h30     Sessão de lançamento de livros e autógrafos:

       Os fantasmas e suas aparições de Alfred Russel Wallace, ed. Lachatre. Tradução de Jáder Sampaio
       Novos Estudos sobre a Reencarnação (7º livro da série Pesquisas Brasileiras sobre o Espiritismo) – Júlia Nezu (USE), Pedro Nakano (CCDPE) e Marco Milani (LIHPE)
       Outros autores a confirmar


17h30      Encerramento das atividades do dia 


PROGRAMAÇÃO – 28/08/16


Domingo

8h00        Assembleia da LIHPE

9h00        Prece de Abertura e comentários gerais

9h10       Tiago Paz e Albuquerque A comunicação com os espíritos e sua crença na sociedade brasileira: análise de diferentes grupos religiosos

9h40       Antônio Marcos de Oliveira – A mediunidade alegada por muitas pessoas é evidência de uma relação mente-corpo alternativa?

10h10     Guilherme Velho – Resultados das pesquisas envolvendo Transcomunicação Instrumental (TCI)

10h40      Paulo Mourinha (Portugal) – autor do livro Uma História Luso Brasileira e membro da LIHPE

11h10     Perguntas e comentários a todos os apresentadores da manhã

11h40      Comentários finais e prece de encerramento


26.7.16

OS FANTASMAS E SUAS APARIÇÕES





O Instituto Lachâtre acaba de lançar nossa terceira tradução de livro espiritualista de Alfred Russel Wallace. São dois artigos extensos publicados no final dos anos 1890 que reafirmam a existência dos espíritos e a imortalidade da alma.

Nesta década, os estudos de William Crookes já haviam sido publicados, e o interesse pelas materializações era disseminado na sociedade inglesa. Professores, escritores e artistas de renome, alguns detentores do prêmio Nobel, haviam fundado a Society for Psychical Research (Sociedade de Pesquisas Psíquicas) para estudar cientificamente os fenômenos “mesméricos, psíquicos e espiritualistas”.

Este livro é uma espécie de contraponto ao livro “The phantasms of the living”, que defende com uma casuística extensa a existência da telepatia. Wallace, contudo, que era membro da Society naquela época, percebe que nos relatos apresentados há uma série de fenômenos que não poderiam ser produzidos telepaticamente. Ele os organiza em classes, como um naturalista, descreve cuidadosamente e argumenta.

Um ponto interessante do livro são as fotografias de espíritos. O editor conseguiu identificar algumas fotografias dos médiuns citados por Wallace, enriquecendo o livro e dando uma bela contribuição para o movimento espírita brasileiro.

Li na Wikipédia que Wallace sugeriu à SPR, em 1891, que fossem estudadas as fotografias espirituais, mas, segundo seu autor, seu pedido não foi bem acolhido. Seria um efeito de sua crítica direta ao trabalho de Myers, Podmore e Gouney?

Um tipo de fenômeno que Alfred descreve no livro são as percepções de animais, associadas às descrições de assombrações feitas por pessoas. Ele destaca suas reações de medo, quando o comportamento normalmente apresentado ante pessoas estranhas é de enfrentamento e raiva.


Iremos fazer uma tarde de autógrafos do livro no próximo Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo, que acontecerá na sede da USE-SP da Rua Dr. Gabriel Piza, 433, no bairro Santana, em São Paulo. O encontro acontecerá nos dias 27 e 28 de agosto próximo. Informações sobre a programação podem ser acessadas em https://enlihpe12.wordpress.com/ e informações sobre inscrições podem ser obtidas em http://www.lihpe.net/wordpress/?p=1663

O livro já pode ser adquirido na livraria virtual do Instituto Lachâtre e está em promoção: de R$24,90 por R$19,90. http://www.lachatre.com.br/loja/os-fantasmas-e-suas-aparicoes.html

Título: Os fantasmas e suas aparições
Autor: Alfred Russel Wallace
Tradutor: Jáder dos Reis Sampaio
Editor: Lachâtre
Biblioteca de Ciência e Espiritismo
110 páginas - 14 x 21 cm
Anexos: Biografia de Alfred Russel Wallace e "Qual é a importância atual desses artigos de Alfred Russel Wallace?"

21.7.16

EVENTOS ESPÍRITAS COM SANGUE NOVO.




Érica Sarsur é a mais nova editora do Blog Eventos Espíritas (http://eventoespirita.blogspot.com.br), parceiro do Espiritismo Comentado. Conheça seus projetos para este espaço de divulgação de eventos espíritas da região de Belo Horizonte.

EC: Érica, você é a mais nova colaboradora do blog parceiro do EC, o Eventos Espíritas. Qual é a finalidade dele?

Érica: O blog Eventos Espíritas tem o objetivo de divulgar eventos que acontecem com o propósito de divulgação e estudo da Doutrina Espírita. O EE divulga, sobretudo, eventos realizados na cidade de Belo Horizonte e região, mas também em cidades do interior de Minas Gerais e eventos de grande porte realizados em outros locais do Brasil.
  
EC: Você já vinha trabalhando com a divulgação de eventos espíritas na região de Belo Horizonte. Qual é a importância desta tarefa?
  
Érica: Em Belo Horizonte são realizadas muitas atividades de estudo, arte e difusão do Espiritismo que contribuem e enriquecem grandemente as pessoas que buscam aprofundar seu estudo e vivência da Doutrina Espírita. No entanto, considerando que são muitas as iniciativas e que elas atingem principalmente o grupo de espíritas mais próximos àqueles que as promovem, passei a fazer circular a informação, para que mais pessoas passassem a ter a oportunidade de escolher participar ou não dos eventos e atividades realizados.

EC: Há dois outros espaços na internet que divulgam eventos espíritas mineiros: o grupo do facebook Divulgação do meio espírita MG e o Boletim AME-MAIS, da Aliança Municipal Espírita de BH. Por que manter um blog?

Érica: Diante de tantas possibilidades de comunicação, o blog torna-se mais uma opção. Os usuários da Internet têm preferências e se comportam de maneira diferente diante das ferramentas, por isso vale a pena oferecer mais essa opção.


EC: Há uma parceria entre o Eventos Espíritas e o site Agenda Espírita Brasil (www.agendaespiritabrasil.com.br) ?

Érica: Sim. O site Agenda Espírita Brasil é um espaço nacional de divulgação de eventos espíritas. Mantendo diálogo e trocando informações com o Agenda Espírita Brasil, o EE
cuida da divulgação de eventos locais (BH e região).


EC: Por que o Eventos Espíritas publica notícias da Liga de Pesquisadores do Espiritismo – LIHPE?

Érica: Devido à ligação do primeiro autor dos blogs Espiritismo Comentado e Eventos Espíritas com o grupo que compõe a Liga de Pesquisadores do Espiritismo, optamos por manter as divulgações referentes às atividades e eventos realizados por esse grupo.


EC: Onde o Eventos Espíritas aparece no Espiritismo Comentado?

Érica: No topo da coluna lateral direita do Blog Espiritismo Comentado é possível encontrar o link para acessar o Eventos Espíritas.


EC: Uma palavrinha sua aos leitores do Espiritismo Comentado.


Érica: Acredito que esse espaço é muito importante para todos nós, que estamos em busca de aprimoramento, utilizando-nos das ferramentas oferecidas pela Doutrina Espírita. As palestras, estudos de obras, feiras de cultura, apresentações artísticas, tudo isso são recursos de evangelização do Espírito que podem ser aproveitadas por nós em prol do nosso crescimento. Contribuam conosco também, enviando informações de eventos que porventura ainda não tenham sido divulgados pelo blog.

8.7.16

SUSTENTABILIDADE DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO SOCIAL NAS SOCIEDADES ESPÍRITAS

video



Frequento a Associação Espírita Célia Xavier, em Belo Horizonte-MG. Uma das atividades de cunho social que realizamos chama-se "Lar Espírita Esperança", que é uma creche construída especialmente para acolher crianças durante o dia e entregar a suas famílias no final da tarde. http://www.aecx.org.br/lar-espirita-esperanca-lee/




Durante anos, um convênio com a Prefeitura de Belo Horizonte cobriu a mão de obra e parte da alimentação destas crianças. Nos últimos anos, a folha de pagamento ficou mais onerosa que o repasse de recursos da prefeitura, gerando déficits de orçamento. No convênio, os educadores são contratados pela Associação, ante o repasse de recursos da PBH, que são os princípios norteadores da parceria entre organização sem fins lucrativos e órgão público responsável pela educação infantil, segundo a lei de diretrizes e bases.

Diante do déficit, e da vontade de continuar mantendo e aprimorando os serviços prestados pelo Lar Espírita Esperança, o Célia Xavier lançou uma nova campanha de sócios, para aumentar o número e a arrecadação mensal dos mesmos. É o objeto deste vídeo que compartilhei com os leitores do Espiritismo Comentado.

Além disso, inseriu na internet um link para a realização de doações avulsas http://www.aecx.org.br/doacoes-avulsas/, no mesmo espaço em que apresenta seus demonstrativos financeiros.

Já tive notícias que outras sociedades espíritas que mantinham obras sociais em parceria com órgãos do governo foram atingidas pela crise de arrecadação fiscal que reduziu os recursos dos poderes públicos. Infelizmente, o contingenciamento atinge as políticas de combate à vulnerabilidade social, e mais ainda as parcerias com entidades filantrópicas, que ficam à deriva das vontades do executivo, sem qualquer mecanismo legal que lhes assegure os recursos mínimos para a consecução de seus objetivos.

Neste momento, gostaria de tornar públicos nossos esforços e promover de alguma forma uma reflexão sobre a sustentabilidade de nossas ações, para que as atividades de assistência e promoção social, tão importantes, não venham a prejudicar as demais tarefas e projetos dos centros espíritas, nem ser interrompidas por falta de continuidade das políticas públicas.

6.7.16

CARLOS ALVARADO ESCREVE SOBRE POSSIBILIDADES DE ESTUDOS DE TRANSE MEDIÚNICO


Foto: Richard Hodgson



O pesquisador Carlos Alvarado, Phd em Psicologia, com mestrados em história e parapsicologia, publicou em 2010 um artigo sobre pesquisas com “mediunidade mental”, conceito que parece equivaler-se ao de mediunidade de efeitos inteligentes, que empregamos hoje sob a influência de Kardec e André Luiz.

Essencialmente ele discute uma série de variáveis associadas ao fenômeno mediúnico que foram analisadas pontualmente na literatura da pesquisa mediúnica, mas que podem ser mais profundamente discutidas e melhor compreendidas.

Eu me deterei nesta matéria apenas na questão do transe.

Alvarado entende que esta palavra é problemática, porque “além de ser usada para se referir a uma variedade de estados de consciência aparentes”, tem-se que levar em consideração que “pode se manifestar em graus”. Pekala e Kulmar, citados por ele, afirmam que, em hipnose, o conceito é mal definido e não foi devidamente operacionalizado. Já li alguma coisa sobre o assunto, e há uma tentativa de delimitação dos graus de transe, como, por exemplo, em um transe profundo, a não reatividade do sujeito em um determinado grau à dor, que é produzida por picadas de alfinete na pele, por exemplo, mas desconheço estudos recentes que analisem estes critérios.

Hyslop, pesquisador da American Society for Psychical Research, afirmou que no transe, o médium “mais ou menos exclui sua própria mente ou pensamentos, seja do entrelaçamento ou seja do controle da mensagem”.

Ele se detém em um episódio descrito com a Sra. Piper, médium norte-americana, que apresentava convulsões no início de seus transes e houve descrição deste comportamento no final deles. Carlos Alvarado sugere que se estude a prevalência desta reação entre os médiuns, uma vez que não é comum.

Hodgson descreveu estágios de transe em Piper. No estágio inicial, ela estaria consciente do consulente e dos espíritos. Depois ela teria consciência de estar “em relação direta com um outro mundo”. Em uma terceira fase, ela perderia capacidade de controlar seu corpo e esta função ficaria a encargo da “consciência supraliminar” (acima da consciência dos estímulos, termo criado por Myers). Em linguagem espírita, ele estaria se referindo ao que André Luiz chama de fenômenos de incorporação, e Kardec de possessão, em A Gênese? Depois o pesquisador descreve que estes estágios vão acontecendo ao contrário, no término do transe.

Alvarado conclui esta parte de seu texto, sugerindo o emprego de técnicas psicofisiológicas modernas no estudo dos estados de transe dos médiuns.


Alvarado, Carlos. Investigating mental mediums: research suggestions from the historical literature. Journal of scientific exploration, vol. 24, n. 2, p. 197-224, 2010.

25.6.16

O QUE CARAMELOS TÊM A VER COM PAULO DE TARSO?



Saulo de Tarso

Jaques foi convidado a falar sobre a vida de Paulo de Tarso para crianças, quase jovens, de 11 e 12 anos de idade. Um dos evangelizadores, Levi, pediu a ele que observasse a letra da música Vaso Escolhido, escrita por Gladston e interpretada por Tim e Vanessa, para que os evangelizandos pudessem entender as frases que remetem à vida do doutor da lei. Encomenda difícil. Os jovens estudam em boas escolas da capital mineira, mas como despertar o interesse por um personagem que está cada dia mais distante do meio escolar e da experiência de quem cada dia menos tem contato com o cristianismo, na escola, na televisão e no círculo de amizades?

Ele pensou em uma apresentação de slides que fizera há alguns anos, para adultos. Teve o bom senso de consultar Levi que lhe respondeu, presto:
- O conteúdo está muito “master level”, né?

Estava. Jaques pesquisou a internet, para conhecer melhor a música do Gladston, e encontrou um material interessante. Um vídeo do “youtube” que tinha imagens recortadas de um desenho animado e como som, a música citada.

Nova consulta, e Levi respondeu:

- É legal para ilustrar, mas você devia usá-lo para introduzir, que é apenas uma animação, para eles não encararem o desenho como “infantil”. Nesta idade eles se queixam muito de não se usar técnicas que consideram infantis.

O que fazer então? E veio a luz.

Jaques separou algumas das principais passagens da vida de Saulo-Paulo, encontradas no livro dos Atos dos Apóstolos. Ainda assim era muita coisa. Selecionou todos os que se encontravam ilustrados no desenho animado. Selecionou também os que eram necessários para explicar a música que seria tocada, por exemplo, por que Paulo é chamado de vaso escolhido?

Na hora de sair para a aula com toda a parafernália, notebook, mapa das viagens de Paulo, etc., Jaques viu o pote cheio de caramelos e o esvaziou. Eles seriam úteis para esta idade.

Iniciada a aula e cantada a música, Jaques começou a aula perguntando aos alunos o que sabiam da vida de Paulo.

- Detesto ensinar “o padre nosso ao senhor vigário”, vocês sabem o que é isto?

- Não, Jaques, o que é? Responderam

- Ensinar coisas que as pessoas já conhecem.

Algumas  informações eles já conheciam. Paulo era apóstolo de Jesus, mudou de nome, estava em um cavalo quando viu uma luz... As respostas foram sendo anotadas no quadro e problematizadas:

- O que é apóstolo?

- Tem os apóstolos e os discípulos, Jaques!

- Mas Paulo não era um dos doze!

E o diálogo começou, cheio de questões sobre as informações que eles já dispunham. O interesse começou a despertar.

Jaques comunicou que iria contar a história de Paulo. Contudo, provocou os alunos a participar da seguinte forma:

- Vou contar a história de Saulo, mas vou parar de tempos em tempos para fazer perguntas. Quem acertar ganha um caramelo, ok? No final, vou passar um desenho animado sobre Paulo, sem as falas. Quem identificar o que está acontecendo, ganha um caramelo também! Não tenho para todos, então alguns ficarão sem. Tudo bem?

Feito o contrato psicológico, a história começou a ser contada, mas interrompida sempre pelos alunos, que tinham uma dúvida, algo a contribuir, um comentário, até mesmo brincadeiras meio fora de hora.

O desafio e a competição natural da idade eram mais motivadores que os doces, mas todos queriam ganhar. A história de Saulo despertou uma série de questões de história e geografia.

- Quem sabe para onde Saulo ia quando viu Jesus?

- Jerusalém! Disse um.

- Roma! Disse outra.

- Damasco! Lembrou uma aluna.

- Damasco é capital da Síria, não é professor?

- Como você sabe?

- Meu pai é professor de geografia!

Depois de algum tempo, os alunos estavam chamando Jaques de professor. E as mãos levantavam sempre, tentando resolver os problemas que eram colocados ou mesmo, apenas, participar. Quase todos gostaram desta forma meio aula, meio brincadeira de ensinar e aprender.

- Você é professor de história? Perguntou um deles.

Os caramelos começaram a ter outra utilidade. Quem ganhou um, não podia ganhar outro, para que eles atingissem o número maior de colegas. Então, na hora de responder, quem já havia respondido certo tinha que ceder a vez para quem ainda não havia ganhado. Jaques pensou que os que haviam ganhado podiam ficar desmotivados, mas isto não aconteceu. Eles continuavam levantando a mão e esperando a resposta dos colegas. Sabiam que se os colegas não respondessem certo, teriam sua vez, mesmo sem ganhar nenhum caramelo. Ninguém se importava.

Apenas três caramelos haviam sobrado para o vídeo, que foi usado como atividade de verificação da aprendizagem. Foi necessário improvisar, e escolher apenas as três cenas mais difíceis para distribuir as balas que sobraram.

Eles continuaram se interessando e participando, de forma disputada.

Estêvão foi facilmente identificado, Ananias também. A fuga de Damasco foi lembrada. E os alunos iam falando, até que sobrou apenas um caramelo.

- Que cena é esta? Perguntou Jaques. Quatro mãos levantaram-se.

- A fala de Estêvão?

- Não, esta cena aconteceu depois das viagens de Paulo.

- Foi quando Paulo estava ensinando e foi apedrejado e jogado no monturo?

- Não, foi depois deste evento. Disse Jaques.

Um dos mais falantes, mas que ainda não havia conseguido ganhar seu doce, pediu a vez.

- Foi quando Paulo foi julgado em Jerusalém e falou que era cidadão romano?

- Acertou! E uma bala voou até sua mão.

A avaliação foi um sucesso, e ninguém achou que se tratava de atividade de criancinha.

- Como Paulo morreu? Alguém perguntou.

Jaques não tinha certeza. Não havia o relato da morte de Paulo nos atos dos apóstolos.

- Como cidadão romano, não deve ter sido crucificado. Talvez executado com a espada. Mas eu não tenho certeza. Vou verificar e o Levi fala com vocês na semana que vem, ok?

Não houve problema. O respeito não diminui com a verdade.

Ao final da aula, um dos alunos falou com Jaques:

- Você volta para dar outra aula?

Não há elogio melhor para um professor que este.

Todos começaram a cantar, acompanhados pelo violão de Levi, que tocava muito bem, e os passistas entraram na sala para aplicar passes em quem desejasse.

A aula terminou, mas a conversa continuou após os passes, até que todos se fossem.