13.7.18

O QUE NÃO COMPROVA A EXISTÊNCIA DA ALMA?

Alexandre Fontes da Fonseca, físico residente em  Campinas, SP, vai apresentar no 14 Enlihpe um trabalho bem original. Ele argumenta que a auto-organização dos corpos não é suficiente para defender a sobrevivência da alma e que as propriedades quânticas da matéria também não. Ao contrário, a última tese seria de base materialista, e os espíritas que a advogam costumam não perceber essa contradição. Leia abaixo o resumo do artigo, que irá compor o livro "A sobrevivência da alma em foco":


O resumo do trabalho: 

"O desconhecimento dos mecanismos que descrevem os fenômenos complexos da vida ainda hoje desafia os pesquisadores na formulação de modelos e teorias a respeito dos mesmos. Essa dificuldade fez alguns estudiosos espiritualistas pensarem que, talvez, alguns desses fenômenos só podem ser explicados pela ação de um agente não-material como a alma ou o Espírito. Dois exemplos de tipos de fenômenos que suscitaram tais hipóteses são analisados aqui com o propósito de esclarecer que, na verdade, eles não servem como evidência ou indício da existência e sobrevivência da alma. Um desses tipos de fenômenos consiste da chamada auto-organização dos corpos dos seres vivos e a manutenção de suas estruturas. O outro tipo de fenômeno consiste da relação entre certas propriedades quânticas da matéria e os conceitos de mente, consciência ou alma. A crença na ideia de que seria o Espírito o responsável pela aglutinação e organização da matéria dos corpos vivos data do século retrasado e ainda vige nos dias atuais, embora a ciência já tenha demonstrado, já a algumas décadas, que o fenômeno decorre de fatores puramente materiais. Menos antigas, as hipóteses da mente ou a alma ser quântica, ou de que existem relações entre a alma e o corpo baseadas em propriedades quânticas da matéria, permeiam e seduzem o movimento espírita em função de especulações científicas e espiritualistas. Além dessas ideias terem dado surgimento ao chamado “misticismo quântico”, mostraremos como essa associação prematura e superficial entre conceitos quânticos e conceitos espíritas abre uma brecha materialista, isto é, que leva, exatamente, à consequência contrária à ideia da existência e sobrevivência da alma. Na atualidade, nenhum dos fenômenos citados acima é capaz de encarar a razão da ciência em defesa da existência e sobrevivência da alma. Concluímos destacando a forma como Kardec demonstrou a existência da alma e que continua sendo a forma mais adequada para investigar e demonstrar a existência e sobrevivência da alma."

TERMINADAS AS INSCRIÇÕES PARA O SALÃO DA UNIÃO ESPÍRITA MINEIRA: 14o. ENLIHPE



Após alguns dias de inscrições, já não há mais vagas para o 14o. Enlihpe no salão principal da sede federativa da União Espírita Mineira. A federativa disponibilizará outra sala com telão para os interessados em estar presentes. Se houver desistências, eles serão prioridade para ocupar as vagas que surgirem.

Convido os interessados a se inscreverem na sala 2, porque terão acesso aos livros, autores, expositores e outros participantes nos horários comuns.

Contamos com o entendimento das pessoas que desejam participar do evento.

Jáder Sampaio
pela Coordenação do 14o. Enlihpe

10.7.18

ABERTAS AS INSCRIÇÕES DO 14o. ENLIHPE


Estão abertas as inscrições para participação no 14o Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo. 



Sejam bem-vindos os interessados!


9.7.18

LUIZ FERNANDO FALA DE SÓCRATES NO 14o. ENLIHPE


Luiz Fernando Bandeira de Melo também apresentará um trabalho sobre o filósofo Sócrates no 14o. Enlihpe. Ele é doutorando em filosofia na Universidade de Coimbra - Portugal e coordenador do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita em duas casas espíritas de Uberlândia - MG: "O Consolador" e Estrada de Luz"







"Podemos apontar Sócrates como proponente do pensamento em que o conhecimento sobre a imortalidade da alma favorece consequências evolutivas morais para o ateniense? Perpassando os escritos de Platão encontramos passagens que propiciam tal interpretação no âmbito filosófico-religioso e que assim, autorizam uma resposta positiva. Objetivo assim este trabalho, para uma discussão sobre as interpretações de discursos socráticos portadores de ideias inovadoras onde a inegável imortalidade da alma condiciona a evolução moral do homem. Dentre as várias apresentações de Sócrates nos textos platônicos, privilegiarei nesta abordagem as que o mostra conhecedor do fim filosófico e religioso de sua missão deflagrada oracularmente de ajudar o próximo a conhecer-se melhor. Missão para a qual ele emprega o conhecimento sobre a imortalidade da alma e seu futuro após a morte do corpo em transmigrações sucessivas, como um fator determinante na transformação da moral do homem. Para fundamentar nossa interpretação sobre a doutrina socrática, será necessário expor argumentos para além da sua missão apolínea, observando o conteúdo das manifestações do seu daimon, um intermediário divino que o orientava em algumas decisões junto a interlocutores. Para tanto, além dos textos platônicos e os de Xenofonte, se tornarão úteis apontar alguns autores que também esclarecem o que pretendemos demonstrar a respeito do pensamento filosófico-religioso de Sócrates como inovador. Portanto, conduziremos nossos esforços neste trabalho para responder à questão: Sócrates agrega o conhecimento da imortalidade da alma à evolução moral do homem?"

O 14o. Enlihpe acontecerá na Sede Federativa da União Espírita Mineira, nos dias 25 e 26 de agosto de 2018. Na oportunidade os textos completos dos trabalhos serão disponibilizados no livro "A sobrevivência da alma em foco", publicado pelo Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo- Eduardo Carvalho Monteiro, em parceria com a Liga de Pesquisadores do Espiritismo. As inscrições ainda não estão abertas, mas as vagas serão limitadas.

6.7.18

MARCO MILANI; MAIS UM AUTOR DO PROGRAMA DO 14 ENLIHPE

Marco Milani é mais um expositor do 14o. Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo. Ele é de São Paulo - SP, mas atualmente reside no interior paulista, onde preside a USE Regional de Campinas.

Marco é professor da Unicamp, onde coordena autalmente o programa de pós graduação stricto sensu em administração. Foi entrevistado por Eliana Haddad, do Correio Fraterno, durante o 10o. Enlihpe, para tratar das relações entre as ciências e o espiritismo. É uma entrevista de apenas 8 minutos, na qual ele explica como os trabalhos do Enlihpe são selecionados.




Este anos, direcionamos a programação para o tema: sobrevivência da alma, aceitando os trabalhos sobre o assunto para apresentação oral, e aceitando para apresentação em forma de pôster os trabalhos igualmente bons, mas que não tratam do tema central, ou a pedido do autor.

O 14 Enlihpe acontecerá nos dias 25 e 26 de agosto de 2018, na sede federativa da União Espírita Mineira, em Belo Horizonte - MG.

4.7.18

14o. ENLIHPE - SAMUEL NUNES MAGALHÃES


O 14o. Enlihpe está chegando, e os interessados me perguntam: quem vem? 

Consegui uma entrevista com Samuel Nunes Magalhães, falando de seu livro "Anna Prado: a mulher que falava com os mortos", publicado pela Federação Espírita Brasileira. 

Memorialista, fundou e presidiu Centros de Documentação Espírita no Amazonas e em Pernambuco. Está responsável pelas áreas de arquivo e museu da FEB.






Samuel tem também o livro "Charles Richet, o apóstolo da ciência e o espiritismo"

Samuel vai conversar sobre a polêmica questão das edições de "A Gênese", em uma mesa com Marco Milani.

O 14o. Encontro Nacional da LIHPE acontecerá nos dias 25 e 26 de agosto de 2018 na Sede Federativa da União Espírita Mineira, em Belo Horizonte-MG.