15.7.14

O ÚLTIMO ROMANCE DE BALZAC


Acordei de madrugada e liguei a TV. Para minha surpresa, o Canal Brasil programou duas inserções do filme "O último romance de Balzac". Dei de cara com o Waldo Vieira falando da sua experiência de receber o romance "Cristo Espera por Ti" e com o Osmar Ramos Filho, autor de "O avesso de um Balzac Contemporâneo", apresentando uma de suas análises sobre o livro psicografado.

Quem quiser ver o filme, ainda será transmitido pelo Canal Brasil amanhã, dia 16/07, das 17:25 às 18:45 horas. O horário não ajuda muito, mas quem tiver o equipamento pode gravar para assistir depois.

Enquanto preparava este texto, encontrei uma crítica ao filme no blog "Filme para Doidos", no qual o jornalista não poupa ataques (alguns até justos, para quem deseja assistir um documentário tradicional). Ele deixa a entrever como gostaria que o documentário fosse feito: com um especialista "esculhambando" o livro psicografado. 

Curiosamente, um bom especialista que conheço, o Dr. Alexandre Caroli Rocha, Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de Campinas, acha que o livro de Osmar é um dos melhores trabalhos já escritos sobre literatura mediúnica, mesmo ele não sendo formado em letras. 

O jornalista pede para quem não gostar deste tipo de cinema ou de textos grandes, sair do blog e apagar a luz, mas como não sou bem comportado, vou atender seu desejo inconsciente e dar luz à sua crítica preconceituosa e arrogante: o blog dele é http://filmesparadoidos.blogspot.com.br/2010/08/os-filmes-que-eu-vi-no-festival-de.html A propósito, ele se auto-define como "débil mental". Confiram.

4 comentários:

Ricardo Alves da Silva disse...

Boa tarde, Jáder!
Gravei o programa e vi ontem.
Achei interessante.
Concordo com as críticas feitas (a forma é outra história): senti falta de algum contraditório (mesmo eu sendo espírita, gosto de ouvir opinições contrárias, até mesmo para alertar sobre aspectos importantes não observados); senti falta também de outras opiniões sobre o trabalho. Ficou muito centrado na visão do Waldo Vieira e do próprio Osmar.
Abraços!

Jáder Sampaio disse...

Ricardo, o contradito é sempre bem-vindo, mas o crítico exagerou. Afinal, é um filme de arte, e não propriamente uma reportagem. Abraços.

Marcelo S disse...

talvez o critico tenha razão!!

Jáder Sampaio disse...

Marcelo, se você acha que literatura mediúnica é bobagem, que o Osmar é incompetente para escrever um livro comparando estilos entre a psicografia do Waldo e a obra de Balzac, e que o relato do Waldo é um delírio, certamente ele tem razão. Se o Osmar é incompetente para falar de literatura, por ser psicólogo, quais são as credenciais deste crítico para falar de literatura mediúnica?