2.3.08

Ivan de Albuquerque e o Jovem

Figura 1: Ivan de Albuquerque
Ivan de Albuquerque tornou-se espírita na infância, influência de sua família, especialmente sua mãe. Passando por dificuldades financeiras, optou por trabalhar após a conclusão do equivalente ao nosso ensino fundamental para custear os estudos do irmão. Trabalhou como enfermeiro e tornou-se jovem expositor espírita, após estudar as obras a sua disposição, especialmente Allan Kardec e Léon Denis. Jovem, idealista e cristão, fez amizades no círculo dos trabalhadores espíritas das cidades do interior de São Paulo e dedicou sua juventude aos hansenianos, aos pobres, velhos e presidiários. Intimorato, visitava os hansenianos, abraçando-os e bebendo do mesmo copo. Certo dia solicitado a socorrer uma gestante em contrações de parto, atravessou a nado o rio Piracicaba para atender ao pedido da família. Foi detido e internado no Juqueri por autoridades policiais por panfletar o Espiritismo no Congresso Eucarístico (Araçatuba). Abatido, mas cheio de fé, continuou falando para os enfermos e para a equipe até que foi descoberto o paradeiro pela família e retirado do injusto internamento. Fundou uma cooperativa agrícola em Itaberá. Desencarnou jovem, aos 28 anos, em um acidente acontecido em um trem, rumo a Marília, onde faria uma palestra.


Figura 2: Cântico da Juventude

Após sua desencarnação já deu comunicações através de médiuns reconhecidos, mas trouxe aos jovens espíritas um "livro de cabeceira", para ler e meditar, sobre temas atuais de interesse à juventude, publicado pela Editora Fráter. Meu livro já se encontra desgastado pelo uso, mas o considero ainda contemporâneo e importante para as novas gerações, que devem discuti-lo em conjunto, nas reuniões de mocidades, aos poucos, para apreender o universo deste jovem espírito antigo que como Francisco de Assis, não resistiu à loucura da vivência do cristianismo em uma sociedade mercantil.

Nenhum comentário: