2.8.08

Desencarne ou Desencarnação?


Celso Pedro Luft escreveu sobre formação de palavras no seu "Novo Manual de Português". Ele afirma que:

"Para a expansão de seus recursos vocabulares ou lexicais, serve-se a língua de dois recursos gerais: ampliação lexical interna e externa."

Na ampliação interna, temos os processos de derivação, que podem ser por prefixação, sufixação, prefixo-sufixação (parassíntese) e regressiva.

Consultei diversos dicionários, e todos eles apresentam a palavra desencarnação, até com o sentido espírita de "afastamento permanente (pela alma ou espírito) do corpo físico".

Nenhum deles (Houaiss, Aurélio, Nascentes, Laudelino Freire) apresenta a palavra desencarne, mas todos eles apresentam a palavra "encarne" com o sentido de "ato de encarnar".

O que posso concluir, salvo melhor juízo, é que seria preferível utilizar o substantivo desencarnação, que está dicionarizado e é bastante conhecido, mas não seria incorreto utilizar a palavra "desencarne", com o sentido de "ato de desencarnar", que seria possível por derivação prefixal. O que não se deve é confundir desencarne ou desencarnação com descarnar, parassíntese que significa retirar a carne do osso.

3 comentários:

newnobre disse...

Caros amigos:
Em particular, não me sinto muito bem com o termo desencarne, utilizado para referir-se ao ato de desencarnar, tomando como base a palavra encarne encontrada em alguns dicionários. Penso que devido às inúmeras formas de conjugação dos verbos em nossa língua portuguesa nos faz confundir, os verbos encarnar e desencarnar, na forma do Presente do Subjuntivo se conjuga: eu/ele encarne e eu/ele desencarne, e no Imperativo Afirmativo: encarne ele ou desencarne ele. Portanto a forma realmente adequada de se referir aos atos de entrar ou deixar o corpo é mais elegante usar Encarnação, Desencarnação e por conseguinte Reencarnação, sem prejuízo das observação do verbo Descarnar. E se estamos envolvidos na divulgação da Doutrina Espírita, lembrando que o palestrante deve utilizar o pronome sempre no plural, dificilmente utilizará as formas das conjugações verbais acima, portanto devemos prezar pelas formas indicadas. Grato pela oportunidade e muita paz a todos

Jáder Sampaio disse...

Prezado Amigo,

Concordo com você que o substantivo desencarnação é preferível ao encarne, como está escrito na publicação original.

Parece-me, contudo, difícil que uma pessoa confunda um verbo com um substantivo em uma frase bem elaborada, ainda mais se o verbo estiver no modo subjuntivo ou imperativo.

Quanto ao uso contínuo do plural na exposição espírita, é um tema polêmico. Lewgoy, em sua tese de doutorado, comenta o uso do "plural de modéstia" nos meios espíritas. Quem sabe não conversamos sobre este tema em uma outra matéria, dada a sua complexidade?

Um abraço

Jáder

Maha Hanzanghanzan Advaita Maha Naga dasa disse...

Realmente. Também eu prefiro os vocábulos ENCARNAÇÃO, DESENCARNAÇÃO, REENCARNAÇÃO. Por entendê-los mais elegantes. Jay!... Gratidão.