9.4.08

Outro Poema de Damasceno Sobral



REVELAÇÃO

A harmonia impecável

e a suavidade quase divina de certas músicas

nos descortinam um mundo

onde a voz é murmúrio;

o desejo, ideal

e a expressão, poesia.

Um mundo homogêneo

cuja realidade parece ficção,

e ficção não é.

Esse mundo tão discretamente revelado

constitui o verdadeiro mundo,

o mundo essencial,

onde aportaremos um dia,

quando instruídos e modificados

à custa dos males aparentes de existências inúmeras.

Extraído de SOBRAL, J. Damasceno. Almas Libertas (Poemas). Divinópolis-MG, 1949.

Nenhum comentário: