6.5.12

O LIVRO "CASOS E DESCASOS" ESTÁ NO PRELO


O grupo mediúnico que participo está em atividade desde 1986. Ele iniciou-se em uma casinha anexa à Associação Espírita Célia Xavier, e neste meio tempo, muita coisa aconteceu.

Meus exercícios com psicografia são mais recentes, iniciando-se no final dos anos 1990. Psicografia intuitiva, a capacidade de registrar outras informações sobre os espíritos comunicantes que não as ideias e as emoções são muito limitadas. Os primeiros resultados foram textos de um ou dois parágrafos, mas apesar das limitações, a continuidade possibilitou o surgimento de trabalhos diferentes, com estilos diferentes e propósitos diversos. Ao fundo, nota-se a limitação do médium para traduzir o aluvião de informações, imagens e sentimentos que envolvem uma comunicação espiritual.

Após muitos anos, um espírito que assina com o pseudônimo de Conselheiro iniciou um gênero totalmente diferente das dissertações, depoimentos e orientações que eram os principais conteúdos de minha produção mediúnica. Ele ditava pequenos contos, com um viés psicológico, sobre pesonagens fictícios, mas factíveis. Seu trabalho circulou discretamente nas mãos de espíritas que considero lúcidos, de Belo Horizonte e São Paulo, quando surgiu a proposta de publicação.

O Dr. Alexandre Caroli Rocha reviu paciente e voluntariamente o texto, com o cuidado que lhe é próprio, o que agradeço de coração. Mais um Alexandre Rocha, trouxe a si o interesse de produzir e dedicou-se ao projeto como editor do Instituto Lachâtre, que acolheu as histórias do Conselheiro, enriqueceu-as com a arte de Rita Folker, incentivou a criação de um índice remissivo e agora já apresenta as primeiras imagens da capa, que traduz bem o escopo do livro.

O Conselheiro escreve para os espíritas. Ele não os critica, nem elogia, apenas focaliza e tematiza seu cotidiano, seus conflitos interiores, suas relações com a família e os outros membros do movimento espírita, seus impasses ante as situações que surgem ao longo da vida, na maioria das vezes, fruto das nossas próprias escolhas presentes ou passadas. Creio que ele faz pensar, faz refletir.

Como nos trouxe reflexões públicas, achamos apropriado devolver ao público para que ele próprio faça sua avaliação e tenha, na pena do Conselheiro, um apoio para pensar sobre si mesmo e sobre o seu trabalho no movimento espírita.

Tenho, portanto, a satisfação de convidar a todos para acompanhar o nascimento deste livro, e a humildade de saber que depois de publicado, ele não mais nos pertence.

Informações sobre o livro e sua aquisição dentro de algumas semanas: http://www.lachatre.com.br/loja/index.php/

Nenhum comentário: