10.9.13

REVISITANDO KARDEC: MÉDIUNS ESCREVENTES



Possivelmente, a mediunidade mais estudada por Kardec foi  a psicografia. Foi sua primeira escolha para o diálogo com os espíritos, como se pode ler em Obras Póstumas. 

Em O Livro dos Médiuns, Allan Kardec discorre sobre os médiuns escreventes ou psicógrafos e estabelece quatro categorias distintas:

1. Mecânicos ou Passivos: Eles não têm consciência do que escrevem e os movimentos de escrita são involuntários. (Um exemplo deste tipo de médium é Stainton Moses)
2. Intuitivos: O pensamento se forma na medida em que está sendo escrito (não há pensamento pré-concebido) e os movimentos de escrita são voluntários. 
3. Semimecânicos: Eles têm consciência do que escrevem, mas o movimento de escrita é involuntário (Um exemplo deste tipo de médium é Chico Xavier, embora haja relatos ligados a ele no qual se mostra a faculdade mecânica pura)
4. Inspirados: são as pessoas em geral, porque têm uma concepção do que vão escrever, seus movimentos de escrita são voluntários, mas sofrem a influência dos espíritos desencarnados. 

No seu grupo mediúnico há médiuns escreventes? Como você os classifica?

Um comentário:

Ricardo Alves da Silva disse...

A partir do relato dos médiuns, identifico a psicografia:
(1) intuitiva, quase totalidade dos casos;
(2) semimecânica, em alguns momentos;
(3) inspirados. Normalmente estes renunciam à escrita, preferindo colaborar na reunião mediúnica em outras atividades, mesmo em apoio aos demais médiuns (atenção para troca de papel, fornecimento de lápis, apoio através da prece etc.).

Nenhum dos médiuns, classificados como (1) e (2) acima, apresentam exclusivamente uma ou outra característica.