3.7.15

O QUE É METAPSÍQUICA?




Uma das vantagens de se usar um leitor eletrônico é o acesso que se tem a livros que não são mais comercializados e só seriam encontrados em sebos, muitas vezes com qualidade duvidosa.

Navegando no Kindle, consegui obter o Tratado de Metapsíquica, um livro publicado em 1922 por Charles Richet, nos quais lança os princípios e fundamentos do que ele desejaria ser um novo ramo das ciências. Richet trabalhou com Gabriel Dellane, mas parece desenvolver seu trabalho numa rota de afastamento das ideias espíritas. O que pude observar até o momento, é que ele reconhece a existência dos fenômenos espirituais, mas põe em dúvida a autoria dos espíritos, neste livro.

Charles Richet propôs o nome metapsíquica, influenciado pela metafísica de Aristóteles, em 1905 à Society for Psychical Research. Ainda no primeiro capítulo ele resume em três palavras os fenômenos que seriam estudados por esta nova ciência:

1o. Criptestesia (chamada até então de lucidez) que significaria "uma faculdade do conhecimento que é diferente das faculdades de conhecimento sensoriais normais"

2o. Telecinesia, que significaria "uma ação mecânica diferente das forças mecânicas conhecidas, que se exerce sem contato, à distância, em condições determinadas, sobre os objetos ou as pessoas"

3o. Ectoplasmia (chamada até então de materialização), significando "a formação de objetos diferentes dos comuns, que parecem sair do corpo humano e tomar a aparência de uma realidade natural (roupas, velas, corpos vivos)"


Richet divide a metapsíquica em metapsíquica subjetiva e metapsíquica objetiva, com base no critério da percepção ou não dos fenômenos pelos órgãos dos sentidos dos observadores. Neste ponto, talvez haja uma forte influência da nomenclatura espírita de Kardec, que classificou os fenômenos espirituais em manifestações físicas e manifestações inteligentes (O livro dos médiuns, capítulos II e III da segunda parte).

A metapsíquica se institucionalizaria a partir da ação de um espírita francês notável, Jean Meyer, que fundou com seus próprios recursos o Instituto Metapsíquico Internacional (Institut Métapsychique International) em 1919, que estudou considerável número de fenômenos e médiuns (palavra que Richet não adotou, preferindo sensitivos). Meyer criou também, em 1923,a Maison des Spirites, onde parece ter funcionado a União Espírita Francesa. 

Hubert Forestier, discípulo e continuador de Jean Meyer, escreveu um artigo sobre o mestre na Revue Spirite de julho de 1955 onde mostra sua visão acerca das duas obras:

A Maison seria encarregada "da propaganda e do ensino filosófico apoiado em provas experimentais" o IMI faria a "pesquisa das provas científicas da sobrevivência e das conclusões que resultam dela."

O Instituto funciona até hoje, com alguma alteração de suas pesquisas em função da parapsicologia. O que aconteceu com a Maison? Esta é uma informação que gostaria de ter.




Nenhum comentário: