25.2.16

O QUE PENSA O ESPIRITISMO DO TERRORISMO?




Tenho recebido e lido com satisfação os exemplares da Revue Spirite. A revista em francês é atualmente o “órgão oficial do Conselho Espírita Internacional” e apresenta uma boa variedade de assuntos, que compreendem os diversos aspectos do espiritismo.

A Revue tem influência do movimento espírita brasileiro, mas definitivamente não se reduz a ele, o que me parece fruto do amadurecimento das relações entre movimentos espíritas de diferentes países.

No último carnaval fui convidado a tratar de religião e sociedade no encontro do GELPE e pude me servir do excelente trabalho intitulado “Reflexões espíritas após os atos terroristas recentes”, assinada por Charles Kempf e pelo comitê de redação da revista.

O texto  inicia-se com o pensamento de Kardec, aos moldes dos atuais artigos de pesquisadores franceses, que se movem sobre um ou mais autores de referência para desenvolver depois seu pensamento. Kardec aparece como um filósofo, o espiritismo como filosofia, racionais, bem fundamentados e fundantes para as reflexões que serão desenvolvidas.

A análise parte de uma explicitação sobre violência, fé e fanatismo, liberdade e livre arbítrio, moral, educação e laicidade. Os eventos e posições atuais estão contextualizados e os autores efetivamente fazem uma análise espírita de um problema sério e contemporâneo que os tem afetado na Europa.

O texto surge do atentado contra o Charlie Hebdo, evita jargões e faz propostas para a sociedade francesa calcadas no pensamento espírita. Ele se posiciona com relação ao grave problema social.


Ver o pensamento espírita vivo, para mim, é uma satisfação imensa. Ver autores competentes em outros países, mais ainda. Pena que grande parte dos brasileiros hoje não conheça a língua francesa, para poder acompanhar os novos números da Revue. Se eu puder, continuo dando boas notícias oriundas desse belo órgão de divulgação espírita.


Jáder Sampaio

Nenhum comentário: