31.10.18

FALANDO DE UM LIVRO ESGOTADO E UMA MÉDIUM QUASE ESQUECIDA



Tenho estado às voltas com a produção do espírito Patience Worth e com sua médium Pearl S. Curran, cuja curiosidade existe desde há muito tempo, quando fiz uma apresentação sobre as hipóteses não espíritas para o fenômeno mediúnico e me baseei nas observações de Ernesto Bozzano para a defesa das explicações espíritas.

Depois reencontrei a dupla Patience/Pearl nas crônicas de Hermínio Miranda, e acompanhei seus comentários, até saber pelo Alexandre Rocha que ele havia encontrado e estava traduzindo a História Triste.

A série ficou encostada durante alguns anos na minha biblioteca, porque a leitura inicial era difícil, e saiu em um período difícil para minha saúde. Há alguns meses, conversando com meu amigo Waldemar Duarte, ele recomendou expressamente a leitura e indicou especialmente os dois últimos livros.

Recordei-me que Hermínio publicou o livro “O mistério de Patience Worth”, no qual fala da história da médium e faz referências a dois autores que a biografaram: Casper Yost e Litvag. Leitura fácil, rápida e interessante.

Para esta publicação resolvi retirar deste livro um dos testes que os curiosos-céticos fizeram com a médium. 



O Juiz Corliss perguntou ao grupo da Sra. Curran se eles sabiam o que significava a palavra sockman. Ninguém sabia, por se tratar de inglês antigo. Ao perguntar para o Espírito, veio à mente da Sra. Curran a seguinte imagem:

“... um homem caminhando atrás do tosco arado, enquanto o sangue lhe escorria das mãos.”  (pág. 34)

Hermínio não encontrou a palavra em seu Webster, dicionário inglês conhecido pela enormidade de verbetes. Aproveitando o acesso à internet, no Webster encontrei o seguinte:

A palavra sockman seria uma variante arcaica de socman e essa última de sokeman. Sokeman é um homem que está sob o direito feudal das terras de outro.

Ainda não está clara a relação entre a imagem e o significado, apesar da relação. Então encontrei em outro dicionário outra rede de sentidos que chega na palavra socage: “na idade média (e principalmente, mas não exclusivamente na Inglaterra medieval), um sistema legal através do qual um locatário de terras (tenant) pagaria o aluguel ou faria algum trabalho agrícola para o seu senhor” 

(https://www.wordhippo.com/what-is/the-meaning-of-the-word/socage.html)

No Webster há ainda a dissociação, no socage da obrigação de qualquer serviço militar.



A questão do juiz fazia muito sentido porque o Espírito Patience mostrava conhecimento da Inglaterra medieval em outras produções suas, e ao contar sua história para os membros da reunião nas terras norte-americanas. Chama nossa atenção uma resposta feita através de uma imagem, e não com linguagem, com uma definição. Para nós, espíritas, é um sinal que as imagens que aparecem na mente dos médiuns durante as reuniões devem ser comentadas de alguma forma, podendo fazer parte de um entendimento maior daquilo que os Espíritos estão tentando nos comunicar, ou, mesmo, ser uma criação do próprio médium.

Nenhum comentário: