18.7.08

José Damasceno Sobral, Poeta.

Figura 1: O fantasma. Gravura japonesa de Kunisada.


PROPÓSITO



Cousa alguma nos fará silenciar
essas verdades consoladoras,
quando o mundo,
mais necessitado do que nunca,
se debate nas garras da incompreensão.



Elas serão mal recebidas por muitos,
ridicularizadas por outros,
todavia
sempre encontrarão eco no coração de alguém.


Ainda que elas se elevem
como um brado sem repercussão,
restar-nos-á o consolo
de havermos contribuído com o pouco
ao nosso alcance
para despertar a humanidade
do pesadelo de suas ilusões.



Livro: Almas Libertas
Autor: José Damasceno Sobral
Divinópolis, 1949

Nenhum comentário: