9.10.09

LACHATRE PUBLICA "A HISTÓRIA TRISTE"


Há anos ouvi falar do romance. Premiado no exterior, psicografado por Pearl Curran, que descobriu sua faculdade quase ao acaso e cuja produção impressionou Ernesto Bozzano no seu livro Xenoglossia, que é a capacidade mediúnica de produzir fenômenos em línguas desconhecidas pelo médium.
O espírito, Patience Worth, produziu textos (Telka, por exemplo) que intrigaram os especialistas em literatura inglesa antiga, pelo volume de palavras, expressões e informações sobre uma época da Inglaterra em que ela havia vivido, 263 anos antes de Pearl (a médium é norte-americana).
Este livro foi reconhecido por sua qualidade literária, e os críticos evitavam posicionar-se quanto à sua origem, mas não hesitavam afirmar sua qualidade literária.
Eu vinha acompanhando, atento, os esforços de Hermínio Miranda em traduzi-lo. Não deve ter sido uma tarefa fácil, mas em breve o Brasil terá contato com um dos personagens que viveu a época de Jesus, e cuja participação Novo Testamento eu omitirei, para manter o suspense.

5 comentários:

Cristina Helena disse...

Jader
Eu havia colocado no meu blog a parte na análise do fenômeno " mistério..." http://somosespiritos.blogspot.com/2009/08/o-misterio-de-patience-worth-historia.html
Já saiu a primeira parte do romance?
abçs

Jáder Sampaio disse...

Cristina,

A Lachâtre me informou que "A História Triste" chega esta semana da gráfica. Em Minas Gerais a União Espírita Mineira é distribuidora e já encomendou os livros, mas sou capaz de informar quem distribui nos demais estados.

Um abraço

Jáder

Lair disse...

Li esse livro na versão em inglês no texto do início do século XX. Quando digo li, na verdade, eu parei já no primeiro capítulo. Como uma autora espiritual, alegando ser testemunha ocular dos fatos narrados, comete tantos erros históricos sobre o império romano, a Palestina romana e sobre fatos relacionados à vida de Jesus?

Jáder Sampaio disse...

Lair,

Perdoe a franqueza.

Você gosta de afirmações categóricas, mas não mostra interesse em fundamentá-las. Ninguém pode afirmar com certeza se Patience foi testemunha ocular da história. Em outra postagem você me responde com um nome de astrônomo em resposta a um pedido de referência.

Bozzano no seu livro intitulado Xenoglossia, sintetiza um resultado de análise da linguagem deste espírito por especialista de Oxford, que ficaram intrigados com a quantidade de termos da época que ela afirma ter vivido (e não foi esta).

O editor, o tradutor e o revisor do exemplar em português fizeram um trabalho interessante com este livro, fazendo referências a estudiosos sem ligação com o Espiritismo.

O primeiro capítulo é um monólogo, quase ininteligível, que levanta elementos que serão explicados ao longo da narrativa.

Não sei se você percebeu, mas não sou dono da verdade em matéria de Espiritismo, nem penso que o Espiritismo é uma espécie de fonte oracular do conhecimento, contudo, tento argumentar, justificar e citar, na medida do possível.

Att.

Jáder Sampaio

ayrton disse...

Antes de ler essa monumental e enigmática obra, composta de três volumes, descrevendo os usos e costumes da época de Jesus,é necessário e interessante pesquisar o médium que a psicografou (Pearl Curran; assim como o espírito que a ditou (Patience Worth). Desse modo, nossa compreensão do processo mediúnico, assim como as surpreendentes informações colhidas a respeito dessas citadas senhoras, alargarão nossa fé nesses maravilhosos fenômenos que aproximam o espiritual do humano...