21.3.10

JUDEUS E HELENISTAS NO CRISTIANISMO NASCENTE EM JERUSALÉM

FIGURA 1: O MARTÍRIO DE ESTÊVÃO
Recentemente fiz a leitura dos Atos dos Apóstolos, atribuído a Lucas, para apreender a visão do médico cristão sobre o nascimento do movimento cristão.

O Caminho
É conhecido por todos que os discípulos de Jesus de Nazaré inicialmente se identificavam ou eram identificados como os “do caminho”. O tradutor da Bíblia de Jerusalém entende que há uma referência direta a Jesus, que se intitulou “o caminho” (João 14:6). Não encontrei uma menção a uma construção ou lugar que se pudesse intitular a “Casa do Caminho” em Lucas, o que não quer dizer que não tenha existido. Há uma forte referência a uma comunidade identificada com os ensinos de Jesus, que inicialmente surgiu no povo judeu.

Os Helenistas
Os helenistas no livro dos Atos são os judeus que viveram longe da Judéia, geralmente em terras de influência grega, e que adotaram hábitos como o estudo da Lei e dos Profetas em grego, o que não era bem aceito pelos judeus autóctones. Os helenistas que se converteram ao Cristianismo parecem ter sofrido discriminação dos cristãos de hábitos judaicos, como é narrado no episódio da distribuição de víveres entre as viúvas helenistas, o que fez os apóstolos nomearem como o que seria conhecido por diáconos a sete jovens helenistas, dentre eles Estêvão. (Atos 6)

A pregação vigorosa de Estêvão e possivelmente sua condição de Helenista fez com que os judeus quebrassem a tolerância proposta por Gamaliel (Atos 5:38 e 39) e o denunciassem ao Sinédrio. Os Atos dos Apóstolos trazem sua defesa, que é uma belíssima peça de oratória e um ato de coragem, que culminou em seu apedrejamento (Atos 7).

A Dispersão

A dilapidação de Estêvão gerou medo em meio aos do Caminho, e muitos se dispersaram pela Palestina e pelos países ao redor, levando consigo suas convicções cristãs. Penso que a execução de Estêvão teve o efeito de fundar novas comunidades que serão chamadas de cristãs em meio a povos não judeus, considerados por estes como gentios ou gentes. Este é o nascedouro da ampliação do movimento cristão e a origem de uma de suas primeiras crises, que não tratarei nesta publicação: o do cristianismo para os gentios.

3 comentários:

Anônimo disse...

O caso estevão nos faz lembrar da importância de não só sermos pessoas tolerantes,bem como nos prepararmos para as idéias novas dos quais podemos vir receber da vida.Como cristianismo é renovador,disciplinemos para nossa auto-renovação na doutrina do Mestre,que nos aparece a cada segundo com ensinamentos vivos do cristo.

Anônimo disse...

Não existe esse versículo citado ( Atos 6:38 e 39) o livro de Atos o capitulo 6 só vai até o verso 15.

Jáder Sampaio disse...

Tem razão, amigo. É o capítulo 5 e não o 6. Já corrigi no texto, obrigado. Se houver outro equívoco, estou à disposição para verificar e consertar se necessário.