20.1.11

PASSE E OBSESSÃO EM ALLAN KARDEC


"A Obsessão" é um livro compilado pela União Espírita Belga a partir dos trabalhos de Allan Kardec sobre o tema, e publicado em português pela editora O Clarim (Matão-SP), traduzido por Wallace Leal Rodrigues.
Selecionei um episódio pouco conhecido, chamado "Um Caso de Possessão". Kardec narra a história da Srta. Julie, que se encontrava obsediada por um espírito que se identificava como Fredegunda.
Um magnetizador (à época de Kardec, na França, eles eram uma espécie de médicos alternativos) cuidava de Julie. Allan Kardec o acompanhava quando observou que o médico a magnetizava (aplicava passes e possivelmente outras técnicas, como a imposição de mãos, a insuflação, etc.) durante uma possível manifestação da obsessora. Ele escreveu o seguinte:
"Um fato dos mais singulares, que todos tinham observado, mas ninguém lhe deduzira as consequências, se produzia na magnetização. Quando era feita durante a luta com o mau Espírito, este, só, absorvia todo o fluido, que lhe dava mais força, enquanto a doente enfraquecia e sucumbia aos seus ataques. Deve lembrar-se que ela estava sempre em sonambulismo; assim, via o que se passava, e foi ela mesma quem deu a explicação." (página 237)
O codificador dialogou com a Srta. Julie e aconselhou-a a confiar em Deus, perguntando a seguir se ela percebia bons espíritos.
"- ... vejo luminosos que Fredegunda não ousa encarar."
O codificador convenceu Julie a orar pela assistência dos bons espíritos e pelo bem estar de Fredegunda diariamente.
O caso foi levado à Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. O Espírito Erasto manifestou-se e recomendou o pedido de intervenção de espíritos superiores (como o Cura D'Ars), a magnetização conjunta com a oração do grupo em favor da paciente e a escolha de um magnetizador que tivesse "uma moralidade irreprochável e sem presunção".
O Espírito Hahnnemann recomendou a Kardec que interviesse para que as magnetizações fossem interrompidas, sendo empregadas a prece, a força moral e o melhoramento da conduta.
Fredegunda foi evocada e conversou-se com ela. Convenceram-na a parar de obsediar Julie, e a procurar diariamente um dos membros da sociedade que passou a instruí-la. Ela manifestou-se uma segunda vez, um mês depois, período no qual não houve mais problemas de obsessão com a Srta. Julie.
Fredegunda relatou os acontecimentos de uma encarnação passada que ligaram-na a Julie (ela era conhecida como Hildegarde) e a outros Espíritos como Brunehaut.
Considero interessante este caso porque traz muitos dos elementos utilizados hoje nas sociedades espíritas para a prática da desobsessão espiritual. Este livro merece ser mais lido e divulgado no movimento espírita.

Um comentário:

Denise disse...

Os trabalhos de desobsessão são muito úteis, o esclarecimento dos q já foram tb é necessário, pois mesmo depois de desencarnar, muitos indivíduos não tem consciência do estado em q se encontram. Penso q temos q estudar muito, principalmente sobre mediunidade, para não cometermos erros por falta de conhecimento. Muita paz!