29.12.12

CARTAS ANÔNIMAS E FAKES



Na internet tornou-se comum as pessoas esconderem-se atrás de pseudônimos ou nomes fictícios para ocultarem sua identidade, evitando sua exposição pública. Em um diálogo inconsequente, talvez se possa aceitar este tipo de conduta, mas o que dizer de uma conversa séria? O uso de fakes (falsos perfis) em uma discussão séria geralmente tem implicações.

Encontrei na Revista Espírita de novembro de 1867 uma situação similar ocorrida com Allan Kardec. Quem estudou sua biografia, sabe que ele recebia uma quantidade enorme de correspondências, sendo obrigado a selecionar o que lia e respondia. No exemplar citado, ele publicou na Revue uma admoestação pública a um suposto senhor B. de Marselha, que lhe enviava cartas sem endereço de resposta, pelo visto, enormes e logorréicas.

Kardec lhe dirige a seguinte explicação: "Não foram tomadas em consideração as cartas que não estão ostensivamente assinadas, ou que não trazem endereço certo, quando o nome é desconhecido. São postas na cesta."

Ele considerava este tipo de correspondência como "indigna de ocupar o tempo". Isto dá o que pensar nos dias de hoje.

7 comentários:

lea silva disse...

muito boa a postagem,mas acho que tmeos que ver que tipo de conversa do fake,e só conversamos com pessoas estranhas se quisermos,vamos mais além...quando eum uma sessao mediunica um espirito zombador se diz como espírito amigo e nos manda mensagens significantes de conforto e de aproveitamento moral,nesse caso interessa quem mandou ou a mensagem?entao so conversamos com estranhos e damos atençao se quisermos...

Jáder disse...

Creio que um espírito zombador só acharia graça se após enganar os membros da reunião, se fizesse conhecer.

Que motivo ele teria para ficar auxiliando e confortando continuamente as pessoas? Qual é a graça? Nesse caso ele seria mesmo zombador?

Pelos frutos conhece-se a árvore.

Creio que foi Kennedy que disse que alguém pode enganar poucos por muito tempo, e alguns por algum tempo, mas ninguém engana a todos por todo o tempo.

lea silva disse...

sim ,verdade...entao terimaos que ver que tipo de conversa o fake trocou com a pessoa que ele esta enganando,pq muitas vezes nos fazemos de cegos.

Joao Donha disse...

Dizem que foi Abraham Lincoln. De qualquer forma, deve ser alguém mais antigo que o Kennedy, porque eu já lia essa frase na infância.

Jáder disse...

Donha,

Você tem razão. Encontrei a seguinte citação:

You can fool some of the people all of the time, and all of the people some of the time, but you can not fool all of the people all of the time.
Abraham Lincoln, (attributed)
16th president of US (1809 - 1865)

Você conhece o texto do Hermínio Miranda comparando as encarnações de Lincoln e Kennedy? Feliz 2013

lea silva disse...

concordo com vc ,e como passei por uma experienica desas a pouco tmepo tenho opiniao diferente da sua,entao nao vou me prolongar,feliz 2013.

Vile Molinari disse...

Kardec sempre com extremo bom senso. Difere uma conversa com um estranho de uma correspondência anônima. Tenho o mesmo proceder.