21.7.20

INICIATIVAS BRASILEIRAS E FRANCESAS DE PRESERVAÇÃO DA MEMÓRIA ESPÍRITA





Depois do programa Conversa com Bial, diversos amigos, todos trabalhadores espíritas, vêm entrando em contato para ouvir a opinião do Espiritismo Comentado sobre a entrevista que o Bial fez com Dora Incontri e com Marcel Souto Maior.


Em nossa opinião, a entrevista como um todo projetou uma imagem racional e favorável do espiritismo para a população brasileira, muito diferente da imagem que ficou com o caso de João de Deus, que, mesmo não sendo espírita, era confundido como tal por se apresentar como médium. Na mentalidade de grande parte dos brasileiros “é tudo a mesma coisa”, e a multiplicidade de experiências religiosas não vem acompanhada com uma clareza na distinção de princípios, proposições e práticas.

Houve um sensacionalismo na mídia de divulgação do programa, feita pela própria emissora, ao falar de descobertas novas e atribui-las à Dora. Ao longo da entrevista, vê-se que ela não se colocou nesse lugar.

Um exemplo do sensacionalismo da mídia global, para quem quiser conferir: 


A entrevista foi muito rica em informações então vamos nos deter nos dois pontos mais questionados: as novas informações sobre a história do espiritismo e, especificamente, a família de Allan Kardec.

Dora Incontri fez menção a algumas descobertas já tornadas públicas por instituições que estão trabalhando com a conservação, transcrição e tradução da correspondência de Kardec e com os documentos copiados por Canuto Abreu na França no período entre guerras, que estava guardado e acesso vetado pelos seus herdeiros.

Além dessas duas iniciativas há uma grande pesquisa que vem sendo feita via internet. Ela se baseia no acesso digital aos arquivos, documentos e coleções europeias das mais diferentes instituições, como cartórios, bibliotecas e órgãos governamentais.

Achei curioso como um grande número de pessoas desconhece o trabalho que vem sendo feito na preservação da memória do espiritismo. As cartas de Kardec compradas dos descendentes de Leymarie e o acervo de Canuto Abreu, especialmente esse último, é quase uma novela com diversos capítulos. Paulo Henrique de Figueiredo nos explica em seu livro “Autonomia: a história jamais contada do espiritismo”, que o acervo de Canuto Abreu (documentos escritos à mão ou datilografados) estão sob os cuidados da Fundação Espírita André Luiz, em São Paulo.

Imagem do C.S.I: Imagens e Registros


Com relação às pesquisas pela internet, gostaria de destacar o Carlos Seth Bastos e seu C.S.I. (Codification, Séances, Investigation): Imagens e Registros Históricos do Espiritismo, pelas contribuições que vêm dando nessa frente de trabalho. O Carlos vem publicando seus achados em três espaços:

https://www.allankardec.online - clicar no canto inferior direito, imagem CSI

Uma das ilustrações que se encontra em allankardec.online

Outro espaço virtual em que se tem publicado documentos digitalizados referentes a Allan Kardec e sua época é o AllanKardec.online. Seu acervo tem por base a Librairie Leymarie e aquisições em outras livrarias especializadas. Seu curador se chama Adair Ribeiro. Eles trabalham em conjunto com o Carlos, citado acima, e o Charles Kempf (veja abaixo). O endereço digital já foi disponibilizado acima:


Há também uma página do Facebook:


As informações da família de Kardec, como a filha Louise e o pai, foram publicadas inicialmente por um espírita francês. Charles Kempf, em outubro de 2018, divulgou em português os achados referentes à correspondência pessoal de Rivail com Amélie que citam a menina Louise, possivelmente desencarnada enquanto os pais adotivos estavam vivos. Ele pode ser lido em http://ismaelgobbo.blogspot.com/2018/10/artigo-inedito-por-charles-kempf.html

Foi também o Charles quem publicou sobre o pai de Allan Kardec. O texto em português pode ser lido no site da Federação Espírita do Paraná com os endereços eletrônicos das fontes: http://www.feparana.com.br/topico/?topico=2255No entanto, posteriormente esta informação foi revisada, pois descobriu-se seu paradeiro, conforme explicado por Carlos Seth em https://www.facebook.com/HistoriaDoEspiritismo/posts/407144190049369

Pessoalmente, não há como negar que uma história de perdas de pessoas queridas pode vir a afetar os interesses de uma pessoa, mas acho ainda especulativo associar as desencarnações ao interesse pelos fenômenos espíritas. Principalmente porque conhecemos a grande maioria dos trabalhos públicos de Kardec, que são extensos, e ele sempre defende os interesses de cientista ante os fenômenos espirituais que estudou.

A posição de Dora contra a idealização de médiuns é muito correta e sensata. Nosso trabalho, como estudiosos do espiritismo, é sempre conhecer bem a doutrina e as afirmações dos espíritos, verificar onde se baseiam, confrontar diferenças e concluir na defesa do que está devidamente fundamentado, argumentado, lógico, venha de quem vier. Isso me fez recordar Sócrates, condenado à morte pela defesa racional de suas ideias, que desagradavam as elites gregas.

4 comentários:

  1. Agradeço ao Carlos Seth a correção da informação sobre o pai de Kardec. Agradeço a todos os que foram consultados as informações e a gentileza no trato.

    ResponderExcluir
  2. Olá Amigos! Poderiam explicar melhor essa questão da compra das Cartas de Leymarie? Quem as comprou? Adair Ribeiro? Estão no Brasil, ou na França? Estão sendo digitalizadas? Desde já, obrigado pela atenção...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edson, o Adair explica sobre isso nesta apresentação: https://youtu.be/eWTBtYOeBls
      Pelo que entendi, o Allan Kardec Online é um museu virtual e seu acervo é oriundo de colecionadores. Parte dos manuscritos veio de uma livraria da França que se chama Leymarie, mas o dono atual não é da família do P. G. Leymarie que conviveu na época de Kardec.
      Não sei onde está o acervo físico, mas a proposta deles é divulgar online e gratuitamente uma versão digital, junto com transcrição e tradução, pra gente conseguir ler.

      Excluir
  3. Caro Jader, parabéns pela divulgação de informações tão relevantes. Assisti a uma live recente sobre Ciência e Espiritismo promovida pela USE de Campinas e gostei muito. Um abraço.

    ResponderExcluir