18.9.10

HUMBERTO, CHICO E ALEXANDRE

Humberto de Campos

Com este título intrigante, tomei a liberdade de apresentar no Célia Xavier um dos trabalhos mais interessantes que li recentemente.

Todos adivinharam quem é a dupla Humberto e Chico: o escritor Humberto de Campos e Francisco Cândido Xavier, mineiro do século e médium.

Alexandre é um acadêmico, doutor pela UNICAMP, que pesquisou, entre outras coisas, as citações de Humberto-Espírito, escritas pelo lápis célere do médium de Pedro Leopoldo-Uberaba.

Minha impressão é de assombro (e redescobri que Sócrates tinha razão: não sei muito mesmo). Ele dá oito exemplos de citações que deveriam estar na cabeça de Humberto e não deveriam estar na cabeça de Chico, se os empiristas tivessem razão e fôssemos todos "tábulas rasas".

Só para instigar o leitor do blog: Há uma citação atribuída a Ernest Renan: "o cérebro queimado pelo raciocínio tem sede de simplicidade, como o deserto tem sede de água pura ".

Alexandre procurou na obra de Renan e encontrou a citação no livro Souvenirs d'enfance et de jeunesse. A citação está em francês: “Le cerveau brûlé par le raisonnement a soif de simplicité, comme le désert a soif d’eau pure”. Difícil o Chico ter acesso a isto, não é mesmo?
Quando ele fez uma pesquisa na Biblioteca Pública Benedito Leite, de São Luiz - Maranhão -, onde se encontra a biblioteca pessoal de Humberto de Campos, encontrou um exemplar deste livro de Renan que pertencia ao escritor.

Mais um exemplo ao nosso interessado leitor. O livro psicografado se chama Boa Nova, e o autor espiritual cita Horácio (65a.C., 8 a.C.):

“Ó sol fecundo
Que com teu carro brilhante
Abres e fechas o dia!...
Que surges sempre novo e sempre igual!
Que nunca possas ver
Algo maior do que Roma.”
Após apresentar os versos a um latinista, Alexandre encontrou o livro "Carmen Saeculare", versos 9-12, no qual se lê: “Alme Sol, curru nitido diem qui promis et celas aliusque et idem nasceris, possis nihil urbe Roma uisere maius”
Eu não falo latim (nem o Chico), mas acredito no Alexandre que afirma ser uma tradução - "talvez inédita".

Quer ler mais? São mais de oito exemplos em "A Temática Espírita na Pesquisa Contemporânea", que pode ser encontrado pela internet, no Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo - CCDPE (http://www.ccdpe.org.br/) ou adquirido, em Belo Horizonte, na Livraria da Associação Espírita Célia Xavier (31-3334-5787) - Rua Coronel Pedro Jorge, 314 - Prado.

5 comentários:

Anônimo disse...

Este Alexandre da Unicamp é o Alexander Moreira de Almeida????

André

Jáder Sampaio disse...

André,

Não. O Alexander é da UFJF e doutorou-se na USP. Este é o Alexandre Caroli Rocha.

Jáder

Cristina Helena disse...

Realmente este trabalho é precioso. Traz informações capazes de surpeender espiritualistas e dar até medo em materialistas.

Anônimo disse...

Obrigado pela resposta, aproveito para parabenizar o blog.

Anônimo disse...

Que estimulados por tal poesia,possamos mudar do mundo dos palavrões para o mundo das palavras que realcem a palavra-VIDA que espelhe DEUS e sua criação.Renovemos nosso vocabulário,para que nos renovemos,renovando aos que da palavra edificante precise.Palavra-luz é luz aos que falam, e aos que dela recebam.Com DEUS e em DEUS luz saía de nós somente.