Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Alexander Moreira-Almeida. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Alexander Moreira-Almeida. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

9.10.14

PESQUISADOR BRASILEIRO NOMEADO COORDENADOR DE ÁREA NA ASSOCIAÇÃO MUNDIAL DE PSIQUIATRIA




Não se trata de uma notícia espírita, mas gostaria de compartilhar com os leitores do Espiritismo Comentado a divulgação da Universidade Federal de Juiz de Fora, que informa a escolha do Dr. Alexander Moreira-Almeida como coordenador da seção de "Espiritualidade, Religiosidade e Psiquiatria" da Associação Mundial de Psiquiatria (WPA - World Psyquiatric Association).

Moreira-Almeida tem realizado e realizado muitas pesquisas envolvendo médiuns e religiosidade, uma área que tem avançado na psiquiatria mundial. Desejamos muitas realizações nos próximo três anos para ele.

As diversas publicações já feitas sobre o trabalho do professor em nosso blog pode ser lido em: http://espiritismocomentado.blogspot.com.br/search?q=Alexander+Moreira-Almeida

24.10.11

O QUE O DR. ALEXANDER PENSA SOBRE A MATÉRIA DA SUPERINTERESSANTE?


A Super publicou em outubro uma matéria sobre pesquisas de fenômenos geralmente estudados por parapsicólogos que denominou ciência espírita.
A Galileu, sua concorrente, fez uma matéria sobre um dos cientistas citados na Superenviesada e conseguiu dar o recado, sem incentivos nem ironias, buscando o necessário "afastamento", que tanto se advoga na pesquisa e no jornalismo. http://espiritismocomentado.blogspot.com/2011/08/galileu-mostra-pesquisador-de.html
O EC aguardou os comentários oriundos do movimento espírita e dos pesquisadores da área. Vamos publicar ou inserir links para o leitor. Hoje temos a carta que o Dr. Alexander Moreira-Almeida (e não Alexandre, como deixou passar o copidesque da Super) escreveu para o diretor de redação.

Juiz de Fora, 10 de outubro de 2011.

Prezado Sr. Sérgio Gwercman

Diretor de redação da revista Superinteressante,



Como o objetivo da reportagem “Ciência espírita” era apresentar o trabalho desenvolvido por mim e por outros pesquisadores de experiências espirituais, surpreendeu-me o fato de a revista ter ignorado uma longa entrevista que concedi em 1/9/2010 ao repórter Pablo Nogueira, autor da matéria. Por isso, disponibilizei as principais partes da entrevista no site www.ufjf.br/nupes.

Tendo em vista a busca de rigor que deve nortear o trabalho de jornalismo científico, seria preferível que a matéria fosse escrita em linguagem mais precisa, sem o uso de ironias.


Ao contrário do que foi publicado:

  • não se trata de “Ciência Espírita”, mas de ciência acadêmica convencional, realizada por grupos de pesquisa, em importantes universidades do mundo, que utilizam as ferramentas da ciência para explorar certos tipos de experiências humanas;
  • em nenhum momento de meu artigo sobre cirurgia espiritual (publicado pela Revista da Associação Médica Brasileira) afirmei a necessidade de “mais investigações sobre o ‘mundo espiritual’”, como foi citado entre aspas na reportagem;
  • o Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade (ProSer) do Instituto de Psiquiatria da USP não foi fundado em 1999, mas em 2008. Em 1999, foi fundado o NEPER (Núcleo de Estudos de Problemas Espirituais e Religiosos), que posteriormente originou o ProSer;
  • não foi o neuropsiquiatra inglês Peter Fenwick quem popularizou as EQMs, mas sim o psiquiatra norte-americano Raymond Moody Jr;
  • não há evidências para a afirmação de que “a maior parte dos pesquisadores entende que elas (as EQMs) não passam de confusão cerebral”. Além disso, a maioria dos pesquisadores que efetivamente publicaram estudos rigorosos sobre EQM discordam desta explicação;
  • meu nome é Alexander Almeida e não Alexandre Almeida;
  • o I Simpósio Internacional Explorando as Fronteiras da Relação Mente-Corpo não foi realizado “em (de novo) Juiz de Fora”. Ele ocorreu em São Paulo, no Centro de Convenções Rebouças da Faculdade de Medicina da USP, com o apoio da USP, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF, Associação Brasileira de Neurociência Clínica e Associação Brasileira de Medicina de Emergência;
  • o simpósio não teve como pauta “relatos de experiências transcendentais, filosofia e surrealidades da física quântica”, mas a apresentação interdisciplinar de estudos acadêmicos já realizados sobre as implicações das experiências espirituais para a relação mente-cérebro. Todos os conferencistas e debatedores são pesquisadores de destaque no meio científico internacional. O conteúdo deste simpósio será publicado em novembro de 2011 na forma de livro por uma das mais importantes editoras científicas do mundo, a Springer. O prefácio do livro é do psiquiatra Robert Cloninger, que está entre os 100 pesquisadores na área de psicologia e psiquiatria mais citados em revistas científicas no mundo;
  • há carência de evidências de que seria “desnecessário dizer que as pesquisas com reencarnação são severamente criticadas pela academia”. Os principais pesquisadores na área (como Ian Stevenson e Erlendur Haraldsson) são da própria academia e publicam em periódicos científicos prestigiosos. Embora naturalmente haja debates sobre este tipo de pesquisa, o trabalho deles tem sido reconhecido como de qualidade em editoriais e resenhas em algumas das mais importantes revistas médicas do mundo, como American Journal of Psychiatry vol. 162, pag.823-4, 2005; British Medical Journal vol. 334, pag.700, 2007; Journal of Nervous and Mental Disease 1977 vol.165, pag.:151, 1977;
  • todos os pesquisadores citados discutem com seriedade, em suas publicações, as diversas hipóteses explicativas sobre essas experiências e não dizem que elas implicam necessariamente uma dimensão humana extra-corpórea;
  • pelo rigor e reconhecimento deste trabalho pelo meio acadêmico internacional, é fácil perceber que estes pesquisadores se movem mais pelo interesse científico de exploração rigorosa e não dogmática da natureza humana do que pela fé.

Alexander Moreira-Almeida

- Professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

- Diretor do NUPES - Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde da UFJF

- Coordenador Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto-Sensu da UFJF


2.10.20

MUITOS RESULTADOS NEGATIVOS NA ANÁLISE DE CARTAS PSICOGRAFADAS POR MÉDIUNS BRASILEIROS

Os pesquisadores Elizabeth Schmitt Freire, Alexandre Caroli Rocha, Victor Scio Tasca, Mateus Moreira Marnet e Alexander Moreira-Almeida publicaram na revista Explore um artigo intitulado “Testando a escrita alegadamente mediúnica: um estudo experimental controlado” (Testing alleged mediumistic writing: na experimental controlled study).

Essencialmente, foram estudados oito médiuns psicógrafos cujo nome não foi divulgado, em função do anonimato previsto pela ética de pesquisa. Foram fornecidos a eles 98 fotos de pessoas desencarnadas, fornecidas pelos parentes à pesquisa, com uma média de 7 a 46 fotos por sessão (p. 3). Os médiuns só tinham acesso às fotos no início da sessão, e o pesquisador que as levava não teve contato com os familiares das pessoas. Os médiuns pegavam na mesa as fotografias das pessoas que eles julgavam perceber e psicografavam uma carta aos parentes. A grande maioria dos médiuns comentou espontaneamente “que se sentiu confortável durante as sessões e que se sentiu confiante que foi capaz de entrar em contato com o desencarnado”.  Os pesquisadores gravaram os comentários que os médiuns fizeram acerca das comunicações e os transcreveram, criando o que chamaram de “descrições”.

Após a coleta de dados, produziram-se 78 cartas e 64 descrições a partir de 18 sessões mediúnicas. Cada consulente (sitter) recebeu um conjunto de seis cartas e seis descrições, sendo uma das cartas e uma das descrições atribuídas ao parente ou amigo do qual ele desejaria ter notícias. As cinco outras cartas e as cinco outras descrições eram de desencarnados com o mesmo gênero e idade aproximada.

Essencialmente os consulentes avaliaram as cartas e as descrições com uma escala que tem 4 itens que vão de “estou certo que esta carta não se refere ao meu parente ou amigo” a “estou certo de que esta carta se refere ao meu parente ou amigo”. O mesmo foi feito com as descrições. Há classificações intermediárias, como “possivelmente se refere” e “possivelmente não se refere”.

Havia também uma escala para avaliar os itens de informação, mas não houve muita informação objetiva (informação que pudesse ser verificada, como profissão, roupas que vestia, instituições que participou, qualquer coisa que pudesse identificar objetivamente o espírito ou não) no conteúdo das cartas em geral (p. 5). 

A análise das cartas e descrições (apenas as que seriam referentes aos desencarnados em questão) apontam, em geral, para sua não identificação. Vinte cartas não foram consideradas dos desencarnados ou provavelmente não o seriam. 19 descrições também ficam  nesse grupo. 4 cartas foram classificadas como provavelmente ou certamente escritas pelos desencarnados que se desejava contatar. 6 descrições provavelmente seriam dos desencarnados.

Os dados acima podem ser vistos no gráfico de colunas abaixo:

Figura 1: Escores obtidos dos consulentes referentes às cartas e descrições dos desencarnados que eles desejavam contatar, realizada a partir da Escala de Avaliação Global.


Os pesquisadores concluem pela incapacidade da maioria dos médiuns em fornecer “informação anômala” sobre os desencarnados em condições experimentais rigorosas. Três hipóteses explicativas são aventadas para a explicação desses resultados:

1. Os médiuns não são capazes de obter informações anômalas;

2. Alguns médiuns são capazes de obter informações anômalas, mas os que foram estudados não;

3. Os médiuns participantes do estudo não obtiveram informações anômalas porque as condições da pesquisa foram muito restritivas e artificiais.

Os autores levantaram algumas condições que poderiam ser observadas nos próximos estudos com médiuns psicógrafos em busca de melhores resultados.

Independente do resultado obtido, o estudo merece a leitura dos espíritas, especialmente os que praticam a mediunidade, no sentido de possibilitar debates e reflexões sobre as reuniões que mantemos, as capacidades reais de nossos médiuns e o que podemos ou não oferecer ao grande público com segurança, em matéria de informação. 

Outros estudos com médiuns já mostraram resultados com informações objetivas fornecidas por médiuns que não poderiam tê-las obtido por aprendizagem ou mesmo fraude, mesmo em estudos experimentais controlados. Que possamos aprender com os fatos e desenvolver mais os cuidados que dispensamos na identificação, desenvolvimento e educação dos médiuns, bem como com a avaliação, confirmação e divulgação de informações obtidas pela via mediúnica.

Elizabeth Schmitt Freire, Alexandre Caroli Rocha, Victor Scio Tasca, Mateus Moreira Marnet e Alexander Moreira-Almeida, Testing alleged mediumistic writing: na experimental controlled study, Explore, New York, Elsevier, 2020 (article in press)

13.9.18

UNIÃO ESPÍRITA MINEIRA PUBLICA COBERTURA COMPLETA DO 14o. ENLIHPE



Mesa de abertura. Da esquerda para a direita: Alexander Moreira-Almeida (NUPES - UFJF), Jáder Sampaio (LIHPE), Samuel Magalhães (FEB), Felipe Stábile (UEM), A. J. Orlando (USE-Estadual), Júlia Nezu (CCDPE-ECM) e Raphael Carneiro (FEEES)

A União Espírita Mineira publicou recentemente uma matéria bem ampla explicando como foi o 14o. Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo - 14 Enlihpe. 

Com a presença de estudiosos de cinco estados e representações de quatro federativas, com a presença do presidente da USE-SP, A. J. Orlando, além de dirigentes de diversas instituições espíritas, o 14 Enlihpe possibilitou um estudo mais aprofundado sobre as pesquisas que se fizeram ontem e se fazem hoje acerca da Sobrevivência da Alma.

Foi realizada uma mesa de debates sobre as edições de A Gênese, os milagres e as predições segundo o espiritismo, de Allan Kardec.

Dois livros foram lançados: A sobrevivência da alma em foco, com os trabalhos dos expositores do evento, e Conversando com os espíritos. Os autores presentes tiveram espaço para autografar seus livros, como, por exemplo, Genealogia do espírito, de Humberto Schubert, Sócrates e religião, de Luiz Fernando Bandeira de Melo, entre outros. Os livros não esgotados podem ser adquiridos na livraria da União Espírita Mineira - Contato: (31) 3201-3038.

Mais detalhes podem ser lidos no endereço eletrônico abaixo:


Os interessados conseguem baixar as apresentações em powerpoint dos autores que as disponibilizaram ao público e as fotos do evento.

Aos que gostaram da palestra do Dr. Alexander Moreira-Almeida, recomendo o seguinte vídeo: https://m.youtube.com/watch?v=nNgomBLe5x8


4.11.11

SUPERINTERESSANTE: A OPINIÃO DE RICARDO ALVES DA SILVA


Alfred Russel Wallace

Mais uma Superinteressante nas bancas falando de Espiritismo, desta vez abordando o que ela denominou Ciência Espírita.

Em tempos de redes sociais, entrevistas gravadas ou realizadas por meio de registro escrito das respostas dadas aos questionamentos feitos, podemos nos felicitar com o acesso direto das informações geradas pelos entrevistados. É claro que na reportagem deve constar o tratamento de outras fontes de informação, atividade que acredito ser inerente ao trabalho dos profissionais envolvidos.

No caso da Superinteressante deste mês, o Dr. Alexander Moreira-Almeida, através dos documentos em anexo e que também podem ser localizados nas Notícias, em 13/10/2011, do site http://www.ufjf.br/nupes/, nos ajuda a entender um pouco mais da seriedade de seu trabalho como cientista, e não cientista espírita como a reportagem sugere e induz a uma interpretação duvidosa do seu trabalho.

As informações publicadas pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida e a edição de outubro/2011 me fizeram revisitar dois trechos, distantes um do outro, que acabei de ler no início do livro “Diálogo com os Céticos”, de Alfred Russell Wallace, tradução de Jáder dos Reis Sampaio, editora Lachâtre, transcritos abaixo:

“É, por consequência, no interesse da verdade que toda doutrina ou crença, por mais bem estabelecidas ou consagradas que pareçam ser, devem em certos momentos ser desafiadas a armar-se com os fatos e raciocínios que possuem, para encontrar-se com seus oponentes no campo aberto da controvérsia, e batalhar pelo seu direito de existir.”

“Contudo, uma teoria ou crença pode ser sustentada por argumentos muito ruins e, ainda assim, ser verdadeira, ao mesmo tempo que pode ser sustentada por argumentos muito bons e ser falsa; mas nunca houve teoria verdadeira que não tivesse nenhum argumento bom a sustentá-la.”
 
 
A forte exposição da Doutrina Espírita, ou indícios dela, junto ao público, por meios nem sempre atentos à qualidade da informação veiculada, e as consequentes críticas veladas que surgem em reportagens duvidosas nos indicam a atualidade das palavras deste honesto cientista do século XIX, escritas em outro contexto que o livro citado evidencia com clareza, mas cujos vícios pelo visto permanecem até hoje.
Ricardo Alves da Silva
Natal - RN

15.1.14

REVISTA DE PSIQUIATRIA DA USP PUBLICA ARTIGO DE REVISÃO SOBRE MEDIUNIDADE

Leonore Piper


A Revista de Psiquiatria Clínica da Universidade de São Paulo publicou no seu volume 40 no. 6 um artigo intitulado "Pesquisa em mediunidade e relação mente-cérebro: revisão das evidências", escrito pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida.

Calcado em 124 referências bibliográficas, o autor apresenta as linhas de pesquisa da mediunidade contemporâneas. Ele argumenta que a mediunidade é uma "experiência humana", com ampla tradição de pesquisa empírica desde o século XIX, que foi negligenciada, de forma geral. 

Moreira-Almeida discute os problemas e questões que se impõem a este tipo de pesquisa, mostrando alguma influência do pensamento popperiano no desenho dos projetos contemporâneos. Ao contrário de Rhine, e alinhado com a perspectiva contemporânea de Schwartz e Beischel, ele propõe que se estude pessoas com alegada capacidade mediúnica e resultados constatados, em vez de insistir nos delineamentos de Rhine, que propunha o estudo de grande número pessoas comuns em busca de traços de faculdades psíquicas.

Entre outras questões ele mostra a falácia de se procurar um "experimento crucial", o que não é utilizado em praticamente nenhuma ciência natural. O trabalho dos cientistas envolve a busca sistemática de evidências e contra-evidências que vão possibilitando o amadurecimento teórico, como advogava Kuhn, mas principalmente Imre Lakatos. Esta posição põe em questão um argumento muito usado por céticos, que advogam ser necessário primeiro provar a existência dos espíritos para depois pesquisar a mediunidade. 

Moreira-Almeida apresenta pacientemente os principais resultados de estudos feitos com dois médiuns destacados: Leonore Piper e Chico Xavier. Ao contrário das conclusões de um pesquisador brasileiro que a-priori defende que o trabalho de Chico é pasticho ou psicopatologia, ele apresenta com cuidado os resultados de tese e dissertação de Alexandre Caroli Rocha. Além disso ele relaciona trabalhos já conhecidos pelo movimento espírita, como o da grafoscopia de Perandréa e o de comparação de informações de Severino.

O trabalho é cuidadoso e amplo, recomendo sua leitura e discussão entre os interessados. Acessem no Scielo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832013000600005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ao lado da página acessada, é possível baixar o arquivo do artigo em formato pdf.


14.4.09

ESPÍRITAS DE JUIZ DE FORA PROMOVEM EVENTO

Foto 1: José Herculano Pires
Recebi o texto abaixo do Marcílio, de Juiz de Fora.

"A Casa do Caminho, de Juiz de Fora, está em contagem regressiva para a realização de um dos maiores eventos espíritas de Minas Gerais: a Semana de Kardec. Na sua vigésima segunda edição, o encontro tem o objetivo de divulgar o Espiritismo e promovendo um fórum de discussão e aprendizagem do conhecimento espírita. Idealizada e dirigida por Dona Isabel Salomão de Campos, a Semana de Kardec tem repercussão nacional e reúne importantes nomes do movimento espírita brasileiro.Este ano, entre os dias 20 e 26 de abril, um verdadeiro time de estudiosos estará aqui na cidade mineira de Juiz de Fora para participar do evento. São eles: César Reis, André Luiz Parente e Sérgio Aleixo, do Rio de Janeiro, Heloísa Pires, Astrid Sayeg e Nei Prieto Peres, de São Paulo, além Mirna Salomão, Iriê Salomão de Campos, José Passini, Ricardo Baesso e Alexander Moreira de Almeida. E, claro, Dona Isabel. Juntos, nós vamos nos aprofundar na vida e obra de José Herculano Pires. O maior filósofo espírita do Brasil, ele também foi considerado o maior divulgador do Espiritismo no país.Preparada com um ano de antecedência, a Semana de Kardec conta com uma equipe de 200 voluntários que atuam na organização e funcionamento do evento O evento conquistou seu espaço no cenário nacional e reúne em sete dias cerca de cindo mil pessoas. Utilizando diferentes mídias, com TV, rádio e Internet, a Semana de Kardec tem alcance não apenas no meio espírita, mas também atinge um público diferenciado e interessado em assuntos de caráter ético e espiritual.O evento é gratuito. As inscrições devem ser feitas pelo site www.acasadocaminho.org.br "

Comunidade Espírita A Casa do Caminho

Juiz de Fora - MG (32) 3226.2532



Programação:
20 de Abril Segunda - 20:00

Palestra de Mirna Granato Salomão Nagib JF

Tema: Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará.

Local: A Casa do Caminho


21 de Abril Terça - 20:00

Palestra de Ricardo Baesso JF

Tema: Quando tudo não é o bastante.

Local: A Casa do Caminho


22 de Abril Quarta - 20:00

Palestra de Prof. José Passini JF

Tema: O Consolador.

Local: A Casa do Caminho


23 de Abril Quinta - 20:00

Palestra de Alexander Moreira de Almeida JF

Tema: O método científico de Allan Kardec na elaboração do Espiritismo.

Em parceria com a Associação Espírita dos Profissionais da Área da Saúde da Zona da Mata Mineira

Local: Sociedade de Medicina e Cirurgia de JF - Rua Braz Bernardino, 59


24 de Abril Sexta - 20:00

SIMPÓSIO: Herculano Pires, o metro que melhor mediu Kardec.

20:00 - Abertura: Isabel Salomão de Campos

Momento de Arte

20:20 - Palestra de: Heloísa Pires SP

Tema: Herculano Pires, o homem no mundo.


25 de Abril Sábado - 08:30

08:30 - Credenciamento e entrega de material

09:00 - Momento de Arte

09:30 - Allan Kardec, o Codificador. César Reis RJ

10:20 - Curso Dinâmico de Espiritismo O Grande Desconhecido. Sérgio Aleixo RJ

11:10 - Coffee Break

11:30 - Introdução à Filosofia Espírita. Astrid Sayeg SP

12:20 - Perguntas e Respostas

14:30 - Educação para a Morte. André Luiz P. Parente RJ

15:20 - Agonia das Religiões. Iriê Salomão de Campos JF

16:10 - Coffee Break

16:30 - Ciência Espírita. Ney Prieto Peres SP

17:20 - Perguntas e Respostas


26 de Abril Domingo - 09:00

09:00 - Momento de Arte

09:20 - Atividade Prática - Distribuição de alimentos, medicamentos e vestuário a famílias necessitadas.

10:10 - Pedagogia Espírita. Heloísa Pires SP

11:00 - Perguntas e Respostas

11:20 - Intervalo

11:30 - Encerramento O Reino Isabel Salomão de Campos

16.7.19

15 ENLIHPE EM FORTALEZA-CE: SAIU A PROGRAMAÇÃO





15º ENLIHPE      

Tema central: Allan Kardec: 150 anos depois

PROGRAMAÇÃO – 24/08/19


Abaixo o link para inscrições gratuitas:



Sábado

08:00            Recepção, credenciamento e entrega de material

08:25 Abertura

Palavras iniciais:
Federação Espírita do Estado do Ceará
União das Sociedades Espíritas de São Paulo
Federação Espírita do Estado do Espírito Santo
Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo – Eduardo Carvalho Monteiro
Liga de Pesquisadores do Espiritismo

Trabalho 1 - Reuniões Mediúnicas voltadas à pesquisa espírita conforme orientações de Allan Kardec – Luana Poltronieri de Souza e Raphael Vivacqua Carneiro

Trabalho 2 – Os livros dos espíritos: uma análise comparativa entre a 1ª, 2ª e até a 16ª edições – Luis Jorge Lira Neto

Intervalo da manhã e autógrafo de livros: Os monumentos gêmeos: Allan Kardec entre Niterói e Lyon – Olivier Geneviève e Paulo Sérgio Manhães Peixoto e do livro “O espiritismo da França ao Brasil: estudos escolhidos” – USE-SP e LIHPE  (20 minutos)

Oficina 1: A cientificidade do trabalho de Allan Kardec – IPCE - Maurício Mendonça

Almoço

Palestra: “Em busca de Yvonne Pereira: o trabalho de recuperação da memória da médium fluminense” - Pedro Camilo

Trabalho 3- Comparando informações mediúnicas após Allan Kardec: o caso de Camilo Castelo Branco – Jáder dos Reis Sampaio

Intervalo da tarde e autógrafos: Livros sobre Yvonne Pereira de autoria de Pedro Camilo

Oficina 2: Busca e tratamento das fontes da história do espiritismo – Luciano Klein Filho e Samuel Nunes Magalhães

Homenagem: Deolindo Amorim

Mesa de instituições: Centro de Memória da Federação Espírita de Goiás, Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo – Eduardo Carvalho Monteiro, Instituto de Pesquisa Espírita do Ceará.

18:30 Encerramento das atividades do dia

Autógrafos: Livros da série Memória Espírita do Estado de Goiás - Eurípedes Veloso de Matos

18:45 Reunião presencial-administrativa da LIHPE





PROGRAMAÇÃO – 25/08/19

Domingo

8:00   Abertura

Conferência de Prof. Convidado: O que é e como funciona o Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde da Universidade Federal de Juiz de Fora – MG – Alexander Moreira-Almeida

Oficina 2: Trabalhando com as fontes históricas de centros espíritas: um estudo de caso - Angélica Almeida

Trabalho 4 – As pioneiras: a atuação feminina nos primórdios do espiritismo do Amazonas Lenara Barros Muniz P. Nunes e Joselita Cármen A. A. Nobre

Intervalo e autógrafo de livros: O espiritismo em perspectivas.

Mesa sobre livro: Espiritismo em Perspectivas – Autores: Marcelo Gulão, Humberto Schubert, André Seal, Adriana Gomes, Angélica Almeida e Alexandre Caroli

11:55 Encerramento



Apoio institucional

Federação Espírita do Estado do Ceará
União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo
Federação Espírita do Estado do Espírito Santo
Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo – Eduardo Carvalho Monteiro


                        

7.12.21

O ESPÍRITO NO LABORATÓRIO

 


No último final de semana participei do II Congresso Espírita Espiritismo.net, que está disponível no YouTube. Bons expositores foram escolhidos a dedo pela comissão, e agradeço ter sido lembrado, porque não sou muito conhecido. 

Fui convidado para participar da mesa "O Espírito no Laboratório: pesquisas sobre a mediunidade" em conjunto com o Dr. Alexander Moreira-Almeida de UFJF, coordenador do Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde, já com centenas de trabalhos publicados em revistas técnicas e o Raphael Carneiro da UFES e do Grupo Lampejo, que não pode estar presente por motivos particulares inesperados e enviou o simpático Clóvis Vervloet em seu lugar, para falar da experiência deles sobre varredura medianímica, método proposto por L; Palhano Jr.

Tratei da pesquisa da mediunidade entre o século 19 e o século 21 e depois da mesa um assistente me disse que falei muito de parapsicologia (no sentido positivo). De fato, como tinha apenas 20 minutos, procurei falar de métodos, resultados e como se desenvolveram as linhas de pesquisa da pesquisa psíquica, metapsíquica e parapsicologia até o revival das pesquisas sobre mediunidade com método experimental no final do século 20, início do 21, no estado do Arizona, Estados Unidos. Deixei os trabalhos do Nupes, que aprecio muito, para o Alexander falar, por motivos óbvios.

Perdoem os leitores se faço divulgação de um trabalho em que participei, não é para projetar minha pessoa, mas o conteúdo dos estudos que temos feito. Acho que tivemos uma mesa com um debate respeitoso e muito informativo, e aprendi muita coisa, além de terem surgido novas questões para pesquisar, o que considero ser o que qualquer pesquisador deseja ao participar de um evento. "A verdade é mais importante que o ego" (No sentido geral, não no psicanalítico)

As perguntas foram muito ricas e bem elaboradas, não percam a mesa de debates.

Convido aos interessados, especialmente as pessoas que ficam se perguntando porque a mediunidade não é plenamente aceita pelo ambiente acadêmico, ou, "será mesmo que existe mediunidade"? 

https://www.youtube.com/watch?v=RU8mAwbxj28

25.6.09

5o. ENCONTRO DA LIGA DE HISTORIADORES E PESQUISADORES ESPÍRITAS


Estão abertas as inscrições para o 5o. ENLIHPE, que será realizado no Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo - Eduardo Carvalho Monteiro, em São Paulo - SP.

O encontro visa a dar visibilidade aos trabalhos em curso realizados em ambiente acadêmico que tangenciem temas de interesse do movimento espírita. Ele incentiva também a publicação e apresentação de trabalhos ligados à recuperação da memória do movimento espírita, objetivo que mobilizou o fundador do CCDPE, Eduardo Carvalho Monteiro, e que fez nascer a Liga de Historiadores e Pesquisadores Espíritas.

No ano passado tivemos a presença de docentes, alunos de graduação e pós-graduação realizando trabalhos na área, além de pesquisadores independentes do movimento espírita. Do encontro surgiu o esforço para a publicação de teses com a temática exposta, pela equipe da Universidade de Franca, houve debates com a presença de membros de universidades de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Paraná, que mostraram que há interesse de muitos graduandos e pós-graduandos em fazer seus trabalhos em diferentes áreas do conhecimento relacionados à temática do encontro. Tivemos a presença de pesquisador italiano (Reginaldo Cerolini) que me enviou recentemente sua tese, sobre o Espiritismo que já foi ou será defendida em breve. A USE-SP e a União Espírita Mineira marcaram presença, apoiando a realização do evento.

Com a adesão em massa dos convidados pela comissão organizadora, não haverá inscrição de trabalhos no 5o. Encontro.

O CCDPE não dispõe de um auditório grande, razão pela qual as vagas são bastante limitadas. Faça sua inscrição e assegure sua participação neste evento que tem tudo para possibilitar uma troca imensamente rica entre os participantes.

Data: 26 e 27 de setembro de 2009.
Horário: Sábado 8:30 às 18:30 horas, Domingo 08:00 às 13:00 horas
Local: Alameda dos Guaiases 16, Planalto Paulista.

Assunto Central: A Temática Espírita na Pesquisa Contemporânea

Objetivos do Encontro:

• Incentivo à produção de trabalhos nas áreas da recuperação da memória do movimento espírita e da pesquisa científica espírita.

• Intercâmbio e troca de idéias entre os trabalhadores espíritas que vem realizando projetos nas áreas.

•Discussão e disseminação de ações e técnicas que possibilitem melhoria na conservação da memória do movimento espírita local e regional.

• Construção de estratégias para desenvolvimento de centros de excelência e apoio à pesquisa com temática espírita.

Presenças já confirmadas:

Astrid Sayegh
Alexander Moreira-Almeida
Ana Catarina Araújo Elias
Dora Incontri
Alessandro Bighetto
Nadia Luz Lima,
Marco Milani
Ercília Pereira Zilli Tolesano
Samantha Lodi
Flávio Mussa Tavares
Angélica Almeida
Alexandre Caroli Rocha,
Alexandre Machado Rocha
Jáder dos Reis Sampaio
Paulo Henrique Figueiredo

Inscrições http://www.ccdpe.org.br
Valor: R$50,00

Apoio: Jornal Correio Fraterno

11.10.12

A TEMÁTICA ESPÍRITA NA PESQUISA CONTEMPORÂNEA



Continuamos publicando o sumário dos livros da LIHPE. Os títulos dos três primeiros livros foram os temas dos respectivos encontros nacionais.

SUMÁRIO

Prefácio: Espiritismo em diálogo - Dra. Maria Angela Vilhena

Introdução: Uma cartografia rudimentar do espiritismo feita por pesquisadores brasileiros - Dr. Jáder dos Reis Sampaio

Satisfação, desligamento e sofrimento de voluntários espíritas - Dr. Jáder dos Reis Sampaio

Projeto de 1868: a proposta de Kardec para a sociedade parisiense de estudos espíritas analisada sob a perspectiva das práticas atuais de governança corporativa - Dr. Marco Milani

Uma estratégia para a construção autoral na psicografia: as citações - Dr. Alexandre Caroli Rocha

Bergson e o espiritismo: a evolução do princípio espiritual - Dra. Astrid Sayegh

Allan Kardec e o desenvolvimento de um programa de pesquisa em experiências psíquicas - Dr. Alexander Moreira-Almeida e Dr. klaus Chaves Alberto.

Anália Franco e sua ação socioeducacional na transição do século XIX para o século XX - Ms. Samantha Lodi-Corrêa

Inácio Ferreira: a institucionalização da integração entre psiquiatria e espiritismo - Dra. Angélica A. Silva de Almeida

A ética da psicologia e a religiosidade do psicólogo - Ms. Ercília Zilli

A cultura espírita no Rio Grande do Sul através do jornal "a evolução" - Dr. José Roberto de Lima Dias

23.9.09

Saiu a Programação do 5o. ENLIHPE


1º Dia - Sábado, dia 26

8h00 Recepção, entrega de material e visita aos pôsteres

8h30 Abertura – lançamento do livro PESQUISAS SOBRE O ESPIRITISMO NO BRASIL: TEXTOS
SELECIONADOS

9h00 Jáder Sampaio – Satisfação, desligamento e sofrimento de voluntários espíritas
Psicólogo, doutor e mestre em Administração. Professor da Universidade Federal de Minas Gerais. Co-autor do livro Diante do mistério: psicologia e senso religioso (Loyola). Tradutor da obra O aspecto científico do sobrenatural, de Alfred Russel Wallace (Lachâtre). Editor do blog Espiritismo Comentado, com mais de 50 mil acessos em todo o mundo.

9h40 Marco Milani – Aspectos da governança da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas
Economista, professor universitário, mestre e doutor em Controladoria e Contabilidade pela FEA/USP. Coordenador do Núcleo de Estudos do Terceiro Setor da Universidade Mackenzie. Membro da diretoria- USE Distrital Lapa, SP.

10h20 Intervalo para café e visita aos pôsteres

10h55 Alexandre Caroli Rocha – Uma estratégia para a construção autoral na psicografia: as
citações
Graduado em Letras pela Unicamp, autor da dissertação de mestrado A poesia transcendente de Parnaso de além-túmulo (2001) e da tese de doutorado O caso Humberto de Campos: autoria literária e mediunidade (2008).

11h35 Astrid Sayegh – Bergson e o Espiritismo: a evolução do princípio espiritual
Pós-Graduada em Filosofia. Ex-coordenadora do curso de Filosofia da FEESP. Fundadora do Instituto Espírita de Estudos Filosóficos (IEEF). Autora dos livros: Bergson, o Método Intuitivo — uma abordagem positiva do Espírito e Ser para conhecer, conhecer para ser.

12h15 Almoço e visita aos pôsteres

14h05 Alexander Moreira-Almeida/Klaus Alberto – O método de Kardec na elaboração do
Espiritismo
Professor Adjunto de Psiquiatria e Semiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF. Diretor do NUPES - Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde da UFJF.

14h45 Paulo Henrique Figueiredo – As origens científicas do princípio vital
Diretor do grupo editorial Universo das Letras (Revista Universo Espírita). Apresentador do programa de rádio Universo Espírita – pensar e viver com liberdade. Autor do livro: Mesmer, a ciência negada e os textos escondidos (Lachâtre).

15h25 Intervalo para café e visita aos pôsteres

16h00 Samantha Lodi – Anália Franco e sua ação sócio-educacional
Mestre em Educação na área História, Filosofia e Educação pela Unicamp. Graduada em Comunicação Social pela Unesp. Professora no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e na Graduação de Pedagogia.

16h40 Oceano Vieira – Filme Documentário "A Grande Síntese" de Pietro Ubaldi - Direção do
pesquisador espírita Oceano Vieira.

18h15 Encerramento das atividades do dia.

2º Dia - Domingo, dia 27

8h00 Abertura e Composição mesa

8h05 Nadia Lima – A psicografia como historiografia
Jornalista, articulista do jornal A Nova Era. Professora doutora de História Moderna no curso de graduação em História da UNIFRAN, Universidade de Franca.

8h45 Pedro Camilo – Deolindo Amorim: cultura e vanguardismo espírita no aquém e no além
Advogado com especialização em Ciências Criminais. Professor universitário no estado da Bahia e autor do livro Yvonne Pereira: uma heroína silenciosa (Lachâtre).

9h25 Intervalo para café e visita aos pôsteres

10h00 Ana Catarina Elias – Elementos da Espiritualidade que compõem A intervenção RIME
Psicóloga, doutora em ciências médicas/UNICAMP. Professora doutora do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP).

10h40 Dora Incontri – A Pedagogia Espírita e a Educação para a Morte
Jornalista, mestre, doutora e pós-doutora em Filosofia da Educação/USP, Coordenadora do curso de pós-graduação em Pedagogia Espírita pela Associação Brasileira de Pedagogia Espírita. Professora de pós-graduação em “Metodologia de Ensino I: Preparação Pedagógica” e “Tanatologia-Educação para a Morte”, na Faculdade de Medicina da USP.

11h20 Angélica A. S. Almeida – Inácio Ferreira: A Institucionalização da integração entre Psiquiatria
e Espiritismo.
– NUPES – Núcleo de Pesquisas em Espiritualidade e Saúde da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Trabalho sobre Inácio Ferreira aceito para publicação na revista Society for Psychical Research em Londres.

12h00 Almoço e visita aos pôsteres

14h00 Reinício - apresentações

14h10 Ercilia Zilli – A Ética da Psicologia e a Religiosidade do Psicólogo
Psicóloga Clínica, mestre pelo Programa de Ciências da Religião, da PUC. Pós-graduada em Administração para Organizações do Terceiro Setor, pela FGV. Autora do livro O Espírito em Terapia - Hereditariedade, Destino e Fé. Apresentadora do programa Novos Rumos, na Rádio Boa Nova. Presidente da ABRAPE - Associação Brasileira de Psicólogos Espíritas.

14h50 José Roberto de Lima Dias - A Cultura Espírita no Rio Grande do Sul Através do Jornal "A
Evolução"
Doutorando no Curso de História Ibero-Americana, da PUC - Rio Grande do Sul. Professor da Universidade do Rio Grande – FURG.

15h30 Apresentação Musical

16h00 Prece Final

19.5.11

BRASIL DAS GERAIS DISCUTE PSIQUIATRIA E ESPIRITUALIDADE


Roberta Zampetti



Está programada para o dia 27 de maio, sexta-feira, às 20 horas, na TV Minas uma entrevista com o Dr. Alexander Moreira-Almeida sobre ciência e religião. Um dos temas que deve ser discutido é o livro "A Temática Espírita na Pesquisa Contemporânea" Confiram.


PS: Para não parecer uma cena do livro 1984, de George Orwell, houve uma mudança na programação e será discutida a relação entre Psiquiatria e Espirtualidade. O livro não será objeto de discussão. Confiram assim mesmo.

27.5.14

QUANDO OS ESPÍRITAS SE ENCONTRAM COM A SOCIEDADE




O movimento espírita de Juiz de Fora realizou neste último sábado o 9º. Fórum Espírita. Seiscentas pessoas, aproximadamente, acomodaram-se confortavelmente no salão do Clube Tupi, para debater com três conferencistas sobre o tema morte.
A entrada, em uma grande antessala, onde também foram servidos os coffee-breaks chamava a atenção pelo clima de reencontro e alegria. Pessoas das mais diferentes casas espíritas da cidade participaram da organização e muitas pessoas de fora, beneficiaram-se do evento. 



Uma exposição de fotos das casas espíritas da cidade compôs um grande painel, onde alguns participantes paravam para identificar as sua ou trocar lembranças com outros interessados.

Fui apresentado a uma simpática pesquisadora que chegou recentemente da Alemanha, e que fez parte da equipe que investigou o funcionamento cerebral de médiuns pintores, com neuroimagem. Vi a juventude e a seriedade da colega, e recordei-me de quando era mais jovem, tentando provocar os médicos  espíritas da época a estudarem com eletroencefalografia o transe mediúnico. À época eles julgavam a técnica pouco produtiva, mas o avanço da tecnologia, aliado à coragem acadêmica, nos presentearam com novos horizontes para a investigação da mediunidade e do espírito.



A palestra da manhã, feita pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida, médico psiquiatra, apresentou o método de Kardec para a pesquisa da vida após a morte e as pesquisas que se fazem em nosso tempo de hoje. Rica em citações e referências, abriu um universo de leitura para quem deseja informar-se mais das tentativas do homem retirar o véu que cobre o segredo da grande viagem. As perguntas iniciaram-se ligadas ao tema, mas em pouco tempo o público dirigiu questões para o psiquiatra, esquecendo-se do tema central do fórum, mas procurando ouvir algo sobre suas dores e conflitos íntimos.



À tarde, apresentamos um trabalho sobre o processo de morrer e os relatos dos espíritos, colhidos pela mediunidade dos colaboradores de Kardec, pelas pessoas que informaram Camille Flammarion e pelos espíritos que continuam usando a psicografia hoje como canal de comunicação entre dois mundos. Temas diversos, como as mortes violentas, e dentre elas o suicídio, foram tratadas e tocaram as pessoas. O caso de Daniela ilustrou bem este tema nada fácil. Lembrei-me dos estudos que papai fazia sobre o tema, décadas atrás e da curiosa desencarnação de minha avó, que compartilhei com o público. Papai estaria presente? Se estivesse sentiria um pouco de nostalgia dos tempos de trabalho com o movimento espírita e lembrar-se-ia das muitas vezes que estivemos juntos ao redor do tema da morte e do morrer.

As perguntas foram francas, diretas e algumas, apesar do nosso apelo ao público, muito pessoais. Enquanto algumas perguntas vinham direto do intelecto, outras vieram diretamente do coração dolorido pela perda ou pelo sofrimento. Perceber o caráter consolador do espiritismo é tocante. Agradeço à ajuda de dois mundos pela inspiração das respostas. Sozinho não conseguiria perceber o significado profundo das perguntas que chegavam aos borbotões.



Após a palestra dirigimo-nos a uma mesinha simpática, para autografar  os nossos O observador e outras histórias e Casos e descasos na casa espírita. Os interessados formaram uma fila, sempre recebidos pela Julieta, nosso “anjo da guarda”, para autógrafos. Rapidamente, nos abraçavam, contavam suas histórias, trocavam impressões. Víamos pessoas de diversos lugares, presentes por diversos motivos, interessados em romper com o tabu, e algumas delas em lidar com as dores, as perdas de seres muito queridos que as anteciparam na grande viagem.

A fila continuava mesmo com o final do intervalo, o que não nos possibilitou assistir ao trabalho de Angélica Maia, sobre “educação para a morte”. Impossível deixar as pessoas que nos procuravam e que esperavam pacientemente sua hora de colher o autógrafo e compartilhar alguma coisa. Terminada a fila, outro compromisso. Uma entrevista para a tradicional revista “O médium”, que tantas histórias e reflexões trouxe ao movimento espírita ao longo de muitas décadas. Há um projeto de voltar a imprimi-la. Seguiu-se diálogo rico, com um jornalista bem informado e perspicaz. A palestra da Angélica ficou mesmo para uma próxima oportunidade.



As pessoas encomendaram os DVDs do evento e pude abraçar ainda uma família querida meio belorizontina e meio juiz-forana, que participava entusiasmada da organização do evento. O fórum será levado a outros, que não puderam estar presentes.



Perdoe o leitor por tantas observações pessoais, mas penso que só assim poderia transmitir o sentido de um evento  tão trabalhoso como este, que envolve tantos trabalhadores voluntários e participantes. Meses de organização se justificam, não apenas pelo conhecimento que se veicula, mas pelo encontro, esta coisa tão fora de moda, tão ofendida pela comunicação rápida dos tablets e celulares.

27.3.13

DESAFIOS EM CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE




O Dr. Alexander Moreira-Almeida é psiquiatra e pesquisador da pós-graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Há anos dedica-se à realização de pesquisas com fenômenos espirituais e saúde, tendo contribuído para o avanço de temas como a questão cultural na psiquiatria. Ele articula métodos quantitativos e qualitativos e tem contribuições na área da epistemologia e da filosofia da ciência.

Muito claro em suas explicações, ele aponta para mitos e pressupostos filosóficos muito comuns no senso comum e na representação social da ciência, desconstruindo ideias divulgadas, mas equivocadas.

Em sua breve comunicação, conclui com recomendações para os interessados na área.

10.10.07

Psiquiatras e Parapsicólogos Escrevem Sobre Espiritualidade

A conhecida Revista de Psiquiatria Clínica, da não menos conhecida Universidade de São Paulo publicou um número suplementar sobre Espiritualidade e Saúde Mental. A edição foi organizada pelo Dr. Alexander Moreira-Almeida, que conseguiu agrupar trabalhos de pesquisadores famosos nas áreas de psiquiatria e parapsicologia. Stanley Krippner, Carlos Alvarado, Harold Koenig, Bruce Greyson e Ian Stevenson são alguns dos convidados internacionais.

Há muito o que dizer sobre a revista, mas na impossibilidade de fazê-lo em um blog, deixo apenas a recomendação expressa aos interessados do artigo "Metade de uma Carreira com a Paranormalidade", no qual o Dr. Stevenson relata sua trajetória na pesquisa não apenas da reencarnação mas de diversos temas de conexão com a espiritualidade.

30.6.18

14o. ENCONTRO NACIONAL DA LIGA DE PESQUISADORES DO ESPIRITISMO








Estivemos sem novas publicações nas últimas semanas em função da organização do 14o. Encontro Nacional da Liga de Pesquisadores do Espiritismo. 

O tema de 2018 será "Sobrevivência da alma" e foram aceitos trabalhos variados. A programação de estudos para o público geral é a seguinte:


PROGRAMAÇÃO – 25/08/18

Sábado

07h30            Recepção, credenciamento e entrega de material

08h25  Prece de Abertura

Palavras iniciais: LIHPE / CCDPE-ECM / USE / UEM / FEEES / NUPES

Conferência de abertura – É possível investigar a existência da alma? (Alexander Moreira Almeida – Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde da Universidade Federal de Juiz de Fora – NUPES-UFJF)

Palestra - A importância da fundamentação transcendental e idealista para a ideia de imortalidade do espírito. (Humberto Schubert Coelho - Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde da Universidade Federal de Juiz de Fora – NUPES-UFJF)

Trabalho 1 - Tema: O que não comprova a sobrevivência da alma? (Alexandre Fontes da Fonseca – União das Sociedades Espíritas de São Paulo – Regional Campinas e Editor do Jornal de Estudos Espíritas)

Palestra 2 - A relação entre a LIHPE e CCDPE-ECM (Júlia Nezu – Presidente do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo - CCDPE-ECM – São Paulo)

Trabalho 2 - Tema: As investigações sobre a sobrevivência da alma (Marcelo Gulão – Professor de História do Colégio Naval – Rio de Janeiro)

Trabalho 3 – Tema: Prova da sobrevivência da alma (Paulo da Silva Neto Sobrinho – Centro Espírita Manoel Felipe Santiago – Belo Horizonte)

Mesa: A Gênese (Coordenação Jáder Sampaio – Associação Espírita Célia Xavier-Belo Horizonte-MG, Marco Milani – União das Sociedades Espíritas de São Paulo – Regional Campinas, Universidade de Campinas e Samuel Magalhães – memorialista espírita, autor do livro “Ana Prado, a mulher que falava com os mortos”, membro do Centro de Documentação Espírita do Ceará - CDEC e organizador, junto com o Luciano Klein, do Memorial Bezerra de Menezes, em Fortaleza, além de colaborador da FEB, na área da memória e documentação)

Apresentação de Pôsteres: Um estudo das cartas de Chico Xavier (Alexandre Caroli Rocha – Doutor em Literatura do Programa de Teoria e História da Literatura da Universidade de Campinas – Unicamp), Evidências televisuais da matriz religiosa espírita na produção teledramatúrgica nacional (Marcos Vinícius Meigre e Silva – Doutorando em Comunicação pela Universidade Federal de Minas Gerais)

Homenagem: Alfred Russel Wallace (Jáder Sampaio – Associação Espírita Célia Xavier – Belo Horizonte-MG)

17h20 Encerramento do dia


17h30 Assembleia da Liga de Pesquisadores do Espiritismo – LIHPE (para membros da LIHPE)


Domingo - 26/08/2018


8h30   Prece de Abertura

Trabalho 4 – Tema: Experimentos de evocação de pessoas falecidas por meio do método de varredura medianímica (Raphael Vivacqua Carneiro – Grupo de Pesquisa Lampejo e Núcleo de Pesquisas da Federação Espírita do Estado do Espírito Santo – Doutorando da Universidade Federal do Espírito Santo)

Trabalho 5 – Tema: Mediunidade e sobrevivência- um século de investigações: a contribuição de Alan Gauld para o estudo da imortalidade (Leandro Santos Franco de Aguiar e Eric Vinícius Ávila Pires - Associação Médico Espírita de Minas Gerais)

Trabalho 6 – Tema: A sobrevivência da alma e o progresso moral em Sócrates (Luiz Fernando Bandeira de Melo – Doutorando em Filosofia na Universidade de Coimbra - Portugal)

Trabalho 7 – Tema: Ensaio sobre as anotações do Dr. Kerner com respeito aos fenômenos psíquicos da Sra. Frederica Hauffe (Elton Rodrigues e Carolina Machado- Associação de Física e Espiritismo da Cidade do Rio de Janeiro)

Trabalho 8 – Tema: Cesare Lombroso: da biografia à transição paradigmática (Eric Vinícius Ávila Pires e Leandro Santos Franco Aguiar - Associação Médico Espírita de Minas Gerais)

11h55 Comentários finais e prece de encerramento


O evento acontecerá na União Espírita Mineira - Sede Federativa, situada na Avenida Olegário Maciel 1627 - Lourdes. Belo Horizonte - MG

As inscrições ao público serão gratuitas, mas limitadas e ainda não estão abertas, informaremos assim que disponíveis.

Informações sobre hotelaria:

Os indicados para ficar perto da UEM são os itens 01 e 02.

1- Hotel Royal
Endereço: R. Rio Grande do Sul, 856 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30180-002

Telefone: (31) 2102-0000 

2 - Promenade Bh Platinum (na Av. da União Espírita Mineira) Endereço: Av. Olegário Maciel, 1748 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30180-111

Telefone: (31) 2125-3800 

3 - Hotel Ibis Budget Belo Horizonte Minascentro (07 quarteirões da UEM,  perto do Mercado Central) Endereço: Av. Bias Fortes, 783 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30170-011

Telefone: (31) 3343-6400 

4 - Ibis Belo Horizonte Liberdade Hotel (Bairro próximo para se locomover de carro, perto da Praça da Liberdade e da Feira Hippie) Endereço: Av. João Pinheiro, 602 - Lourdes, Belo Horizonte - MG, 30130-180 
Telefone: (31) 2111-1500 

5. Hotel San Diego Express, Endereço: Av. Barbacena 41 – Barro Preto, entre a Via Expressa e a Av. Augusto de Lima. (Bairro próximo para se locomover de táxi ou Uber) 

Telefone: (31) 3614-3750


Apoio