10.7.08

Seminário: Divulgação do Espiritismo - Saiba Mais


O Espiritismo Comentado entrevistou um dos organizadores do Seminário FEB/CEERJ sobre Preparação dos Trabalhadores para Divulgação do Espiritismo, Mozart Leite. Como já foi dito antes, o evento acontece no dia 19 de julho, das 9:00 às 16:00 horas. Saiba detalhes sobre o evento.


1. A quem se dirige o seminário?

Divulgadores e comunicadores e público interessado na temática. Todos os dirigentes e trabalhadores espíritas que tem interesse no tema.

2. Cada vez mais no Brasil está presente a figura do distribuidor do livro espírita. Ele torna mais fácil ao livreiro a tarefa de aquisição dos livros espíritas. Geralmente há um grande esforço de vendas dos livros que estão sendo lançados, e uma tendência a retirar de catálogo os livros que não são bem vendidos. Como conciliar isto com o papel da livraria espírita de vender obras de qualidade doutrinária? Como evitar que se retirem os livros das gerações passadas (Fernando de Lacerda, por exemplo) do mercado editorial espírita? Livros considerados menos importantes de Chico Xavier estão destinados a saírem do mercado editorial no futuro?

Temos que trabalhar com demanda e aprender a criar demanda nos livros de qualidade que não são procurados. Os expositores podem ajudar nisso, demonstrando a relevância de algumas obras. Por exemplo, outro dia Raul Teixeira mencionou o valor dos autores clássicos contemporâneos de Kardec. A relação promoção, preço e atendimento é muito importante. A obra de Chico Xavier deve ser divulgada em todos os detalhes, os livros doutrinários, os romanceados, os de mensagens, os de trova e poesia, os com mensagens dos que desencarnaram e se correspondem com os familiares, os de entrevistas, os documentários de outros autores, bem como os biográficos e de estudo da mediunidade de Chico.

3. Que tipo de papéis das bibliotecas são abordadas no evento? Apenas o empréstimo de livros ou a biblioteca como instituição de cultura do movimento espírita?

A proposta é demonstrar o funcionamento da biblioteca no centro espírita e ambos os papéis são relevantes, sobretudo apoiar a área de educação espírita fornecendo livros de empréstimos. A contação de história, os livros infanto-juvenis (estes últimos são raríssimos), desenvolver projetos de incentivo a leitura, promover concursos para criação de livros, contos e crônicas voltadas para vastos assuntos e públicos diversos. O incentivo a cultura realmente é fundamental. Mas, não teremos tempo para tanto.

4. Como os expositores do evento vêem a guarda de documentos históricos das sociedades espíritas pelas bibliotecas?

O CEERJ possuir na Área de Ações Estratégicas o Centro de Documentação Espírita do Estado do Rio de Janeiro com o projeto Memória Espírita e cada centro espírita deve ser um espaço de preservação dessa memória. Penso que todos os expositores são sensíveis à questão.

5. O Perri vai tratar de divulgação dos centros espíritas. O que é OCE?

Orientação ao Centro Espírita, documento aprovado em 1980 pelo CFN/FEB e atualizado em novembro de 2006 pelo mesmo CFN com o formato de diretrizes. Na oportunidade o Perri vai tratar da área de divulgação no que diz respeito ao documento em tela.

6. "Falar fácil" é a tendência de se utilizar a linguagem moderna e cotidiana nas diferentes mídias espíritas, incluindo aí a exposição de temas espíritas?

Não só falar mas escrever fácil, ou seja, acessível e agradável, não só a linguagem moderna e cotidiana, mas, adequando-se sempre ao público alvo, conforme o nível social, a maturidade de cada grupo, a faixa etárea, e também o nível de interesse. Para públicos específicos abordagens específicas. Incluindo a exposição de temas espíritas, devendo sem perder de vista a terminologia espírita, sem criar um espiritês.

7. Como conciliar a idéia de utilizar uma linguagem contemporânea com o sucesso de expositores que utilizam arcaísmos e expressões pouco conhecidas, na linguagem oral e escrita, como Divaldo Franco e Raul Teixeira?

Existem aspectos da comunicação desses expositores mencionados que muitas vezes nos fogem a uma abordagem mais simples. Eles não só se comunicam por palavras, mas, com um forte apelo espiritual. O aspecto da repetição, das analogias, dos sinônimos, do bom humor, da contextualização e da atualidade das mensagens transmitidas, transcendem certos termos e enfoques difíceis. Mas, de um modo geral numa reunião pública ou de divulgação doutrinária, muitas vezes uma conversação, uma apresentação, pode provocar melhor resultado ser trouxer clareza, simplicidade e for adequada ao público ouvinte.

8. O que os participantes podem esperar do seminário?

O Seminário vai oferecer vasto campo de abordagens e idéias em temas nem sempre ventilados, mas, que tem sido demandados em face dos avanços de Mídias, Editoras e Distribuidoras, da necessidade de melhor preparação de livreiros e livrarias, bibliotecas e colaboradores, bem como dos expositores e escritores. O espaço de perguntas e respostas que sempre ocorre nos dará a medida das expectativas e demandas do público-alvo e do que também poderemos oferecer.

9. Haverá material impresso ou mídias informatizadas a serem distribuídos para os participantes?

Esse era o desejável e será produzido após o evento o dvd que será fruto da transmissão e gravação do Seminário pela TV CEI.

10. Quantas pessoas são esperadas no evento?

Expectativa mínima 100/150 pessoas.

11. É necessária a realização de inscrição prévia? Em caso afirmativo, como fazê-la?

A entrada é franca e conforme a quantidade de vagas que é de 500 pessoas.

12. Onde será realizado o almoço durante o evento?

O almoço será realizado no entorno em restaurantes já conhecidos e que serão divulgados na data. Haverá lanche no primeiro intervalo.

13. Vocês estão esperando apenas o público carioca ou há interesse de participação de espíritas de outros estados?

O evento se volta para o público carioca e fluminense. Mas, aqueles que acorrerem serão bem-vindos. Como o evento será transmitido pela TV-CEI, todos terão acesso no mundo todo.

Abraços Fraternos,

Mozart.

Nenhum comentário: